Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

30/03/2011 - Portal Amazônia Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF faz operação contra esquema de notas fiscais frias em Manaus


MANAUS- A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje (30), a operação "Sol Dourado" para investigar esquema de agências de publicidade responsáveis por firmar contratos usando notas fiscais frias com empresas e fundações em Manaus. Os agentes fizeram varredura em estabelecimentos localizados no bairro Vieiralves e Parque das Laranjeiras.

A PF começou, por volta das 7h30, a cumprir mandados de busca e apreensão de documentos em edifícios localizados na rua Rio Purus e Pará, no bairro Vieiralves. Em um deles funciona a loja "Bandeirão". Os policiais e agentes da Força Nacional fizeram busca na Fundação Muraki, localizada na Avenida Nilton Lins e na agência de publicidade Jobast, suspeita de superfaturar licitações em contratos públicos com o Governo do Estado.

A Polícia investiga a prática de crimes contra a ordem tributária, falsidade ideológica e fraudes em licitação. A PF informou, em nota, haver indícios de que uma empresa de publicidade de Manaus estaria participando de licitações com entes públicos do Estado do Amazonas, contratando valores superiores ao real custo da licitação. "A fim de acobertar os valores superfaturados, a empresa de publicidade estaria obtendo notas fiscais de uma terceira empresa, também do ramo de publicidade", diz a nota.

A terceira empresa, Sistema de Comunicação Sol Ltda, tem como sede uma residência e não possui funcionários na capital. Ela estaria envolvida no repasse de notas frias para basear contratos entre a Jobast e a Fundação Muraki, para realização de serviços de publicidade para a Universidade do Estado do Amazonas (UEA). As buscas foram concentradas nas residências e escritórios do proprietário da empresa, Afonso Luciano Gomes Amâncio, localizados em Manaus e em Brasília. Ele está foragido.

O delegado da Polícia Federal, Domingos Sávio Pinzon, comanda a operação com desdobramentos ainda mantidos em sigilo pela Polícia.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 251 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal