Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

01/04/2011 - iOnline Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Administrador dos CTT falsifica licenciatura e suspende mandato

Marcos Batista, ex-sócio do secretário de Estado Paulo Campos e por este nomeado, terá falsificado o currículo. Curso não foi concluído, apurou o i

O administrador dos CTT Marcos Batista, ex-sócio do secretário de Estado Paulo Campos e por este nomeado, suspendeu ontem o mandato depois de ser questionado pelo i sobre as suas qualificações académicas. Marcos Batista terá adulterado as habilitações académicas, afirmando ser licenciado pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), como consta no despacho de nomeação publicado em Diário da República. O curso, porém, não foi concluído, apurou o i junto dos serviços daquela instituição de ensino, não tendo Marcos Batista completado as cadeiras suficientes para concluir uma licenciatura pós-Bolonha.

Na sequência da investigação levada a cabo, o i procurou esclarecer o assunto junto do administrador na quarta-feira, sem sucesso. Ontem, Marcos Batista suspendeu o mandato na administração da empresa pública, alegando "razões pessoais" e mostrando-se "surpreendido por dúvidas" sobre a sua formação académica. "Devo referir que sempre estive convencido que o meu percurso académico com oito anos de frequência universitária e elevado número de cadeiras concluídas, em mais do que um plano de estudos curriculares, correspondesse a um curso superior à luz das equivalências automáticas do processo de Bolonha", referiu no comunicado interno aos trabalhadores. Marcos Batista refere ainda que solicitou "ao ISEG a devida avaliação curricular". Já a administração dos CTT refere em comunicado que Batista dirigiu "ao presidente do Conselho Fiscal da empresa o pedido de suspensão, sem remuneração, do mandato". A remuneração do administrador dos CTT ascendeu, em 2009, a 257 mil euros (último ano a que o i teve acesso), somando remuneração base, prémios de gestão e gastos com carro, comunicações e combustível.

Banco de Portugal pediu informações O Banco de Portugal (BdP) pediu este mês informações curriculares ao administrador Marcos Batista, que é também administrador da empresa Payshop, do grupo CTT - que por ser uma instituição de pagamentos está sujeita à supervisão do Banco de Portugal. No questionário sobre qualificação profissional respondido pelo administrador dos CTT e a que o i teve acesso, Batista fez referência à licenciatura em Economia no ISEG, mas não especificou em que data concluiu o grau académico. O documento está assinado, sob compromisso de honra, pelo administrador, sendo referido pelo Banco de Portugal que "a prestação de falsas declarações constitui fundamento para recusa ou cancelamento do registo, sem prejuízo de eventual aplicação de sanções penais". A omissão da data de conclusão da licenciatura fez com que o BdP devolvesse o questionário, pedindo o preenchimento correcto do mesmo.

Recorde-se que o secretário de Estado Paulo Campos, que tem a tutela dos CTT, nomeou Marcos Batista para administrador dos Correios no ano em que assumiu o cargo no ministério (2005). Marcos Batista tinha sido sócio de Paulo Campos na empresa Puro Prazer.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 396 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal