Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

14/03/2011 - Campo Grande News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Estelionatários aplicaram R$ 100 mil em golpes no comércio da Capital

Por: Nadyenka Castro e Ricardo Campos Jr.

Polícia suspeita de mais envolvidos

Pode chegar a R$ 100 mil a soma dos golpes aplicados pelos estelionatários Elias da Silva Correa Júnior e Renato Brites, que usavam nome de mortos para fazer compras comércio de Campo Grande. A Polícia Civil suspeita que eles preparavam um golpe muito maior.

A dupla foi presa na última quinta-feira (10) após comerciantes terem desconfiado da legalidade dos cheques, depois que uma consulta apontou que o nome constava como de uma pessoa já falecida. Somente em uma loja, o prejuízo ultrapassa R$ 4 mil.

Segundo o delegado Márcio Rogério Custódio, em novembro do ano passado a dupla abriu contas em vários bancos em nome de Luís Marcondes Ramos Cipriano, falecido em 2003, no Mato Grosso.

Utilizando a mesma identidade, abriram a empresa Agroramos Locação e Transporte Ltda, a qual era apenas de fachada, conforme já comprovado pelas investigações. Até um caminhão eles adquiram para simular “vida” à firma.

Em fevereiro eles começaram a fazer compras com cheques pré-datados em diversos segmentos comerciais: de roupas à materiais de construção, passando por produtos de informática e eletrodomésticos.

Já foram identificados golpes em 11 estabelecimentos, sendo cinco no Shopping Campo Grande. Golpes que somam entre R$ 80 e R$ 100 mil, mas o valor pode ser maior a partir da data para depósito dos mesmos.

No momento da prisão, eles estavam com pneus de caminhão e um para-choque de carro de luxo comprados com os talões de cheque.

Comparsas - Os produtos adquiridos pela dupla foram encontrados em uma residência na rua Itajubá, Jardim Oracília, e também em uma chácara na Chácara das Mansões, que é da mãe de Elias.

A residência na área urbana pertence ao casal Airton Soares de Alencar e Katiane Maria Eugênio de Oliveira, os quais estão sendo procurados pela Polícia.

De acordo com Márcio Custódio, Elias e Renato dizem que o casal não tem relação com o estelionato. Mas a Polícia percebeu que a casa foi recentemente reformada e suspeita que os materiais utilizados tenham sido comprados com cheques “mortos”.

Airton já tem passagem na Polícia por estelionato e se for comprovada a participação dele nos golpes terá mais crimes para responder. Ele será indiciado por formação de quadrilha, falsidade ideológica, falsificação de documento público, estelionato e uso de documento falso, assim como Elias e Renato.

Golpe maior - Conforme o delegado, a Polícia Civil suspeita que a dupla estava preparando um golpe a algum comércio e/ou até banco.

Márcio Custódio explica que foram encontrados materiais de construção deles em uma área na BR-163, saída para Cuiabá, e também documentos assinados por uma pessoa que se identifica como contador, que mostram movimentação anual de R$ 1,5 milhão da Agroramos.

Para a Polícia, as duas informações associadas levantam a suspeita que a intenção da dupla seria erguer um imóvel da Agroramos no local, que a Polícia ainda não sabe a quem pertence, e pedir empréstimos junto à instituição bancária mostrando o suposto balanço anual e a sede da empresa.

Investigações - A Polícia Civil irá investigar se a assinatura no documento é mesmo de um contador e se for, se ele também participa da quadrilha.

Será apurado também como Elias e Renato conseguiram a identidade falsa.Elias utilizava a de Luís e Renato de um homem chamado William, que ele disse ser um primo dele já falecido.

A Polícia Civil pede para que comerciantes que suspeitam terem sido vítimas procurem as delegacias com documentos que comprovem as compras para que os produtos possam ser devolvidos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 323 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal