Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

26/02/2011 - Deutsche Welle Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraude acadêmica de ministro alemão provoca protestos e indignação crescentes

Protegido pela chefe de governo, cada vez mais visado pela oposição e pela classe científica, ministro alemão da Defesa Zu Guttenberg ainda se aferra ao cargo. Manifestantes em Berlim exigem sua renúncia imediata.

Na tarde deste sábado (26/02), em Berlim, centenas de pessoas se reuniram em protesto pela conduta do ministro alemão da Defesa, Karl-Theodor zu Guttenberg. diante das acusações de plágio em sua tese de doutorado.

Os manifestantes se dirigiram da praça Potsdamer Platz até o Ministério da Defesa, exigindo, entre outras consequências, a renúncia imediata do ministro. Segundo a polícia da capital alemã, a passeata foi anunciada como "Protesto pelo comportamento desonroso do ministro da Defesa, da chanceler federal e das bancadas do governo no parlamento".

A Universidade de Bayreuth cassou recentemente o título de doutor summa cum laude de Zu Guttenberg, alegando que este teria deixado de indicar diversas fontes em sua tese. Apesar disso e das acusações de plágio que ainda pairam sobre sua reputação, o político social-cristão (CSU) se aferra ao cargo de ministro, no que conta com o apoio expresso da chanceler federal alemã, Angela Merkel.

"Não nomeei um assistente científico"

Na última segunda-feira, a chefe de governo declarara que Zu Guttenberg continuava merecendo "sua inteira confiança", e que ela não via qualquer impedimento de que continuasse exercendo seu cargo.

"Não o nomeei como assistente científico", pontificou a também chefe da União Democrata Cristã (CDU), acrescentando que a função do ex-doutor é de ministro da Defesa, a qual "preenche de forma excelente, e para mim é isto que conta".

Diante do Bundestag (câmara baixa do parlamento) Zu Guttenberg admitiu ter cometido "erros graves". O líder da bancada parlamentar da CDU/CSU Volker Kauder deu-se por satisfeito com a admissão, comentando que o fato do político saber reconhecer seus erros seria "um sinal de força".

"Ministro por demanda"

Mas a oposição não perdoa o mau passo. O presidente da bancada social-democrata (SPD), Sigmar Gabriel, questionou a futura capacidade do ministro de agir independentemente.

"O senhor Zu Guttenberg é agora ministro 'por demanda', ministro da mercê de Merkel. No gabinete, ele vai depender da misericórdia da chanceler e do ministro das Finanças, quando quiser algo em nome das Forças Armadas." Assim, prosseguiu Gabriel em entrevista ao jornal Bild, Zu Guttenberg teria se tornado um risco para a classe militar do país.

Para A Esquerda, é hora de Merkel interferir no caso Guttenberg. Como este "ao que tudo indica, não possui nem noção do que é certo ou errado, nem honra, nem consciência, a chanceler tem que agir e, exonerando-o do cargo, evitar danos à nação", instou Dietmar Bartsch, vice-líder da bancada esquerdista no Bundestag.

No pelourinho da ciência

Entre a comunidade científica do país, cresce a indignação em torno do caso. O professor de Direito da Universidade de Bayreuth Oliver Lepsius, sucessor do orientador de Zu Guttenberg, considera este "um impostor". "É um atrevimento sem igual a forma como ele ludibriou pessoas honradas da universidade", declarou ao jornal Süddeutsche Zeitung. Lepsius não aceita a alegação do ministro de que teria agido sem malícia, e o acusa de haver perdido "a noção de realidade".

A Associação Alemã de Pesquisa (DFG) disse condenar a cópia de textos alheios sem citação de fonte numa tese de doutorado. O ex-presidente da associação Ernst-Ludwig Winnacker declarou à revista Der Spiegel que, do ponto de vista acadêmico, o ministro será "para sempre um alvo de críticas".

Por sua vez, o atual presidente da DFG, Matthias Kleiner, lembrou que a propriedade intelectual é tão valiosa quanto a material, e que o plágio não é um delito trivial. A Confederação das Escolas Superiores Alemãs classificou como deplorável o fato de altos representantes políticos alemães minimizarem uma má conduta científica das mais graves.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 176 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal