Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

23/02/2011 - Monitor Mercantil Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Estado do Rio quer punir falsas vendas por Internet

Por: S. Barreto Motta


Uma fonte do Palácio Guanabara revela à coluna que a receita está confortável. O governo fluminense deve atingir, este ano, arrecadação de R$ 27 bilhões, o que lhe permite uma administração financeira tranquila. O estado tem de se preparar porque, no momento, recebe um adicional de ICMS que em breve acabará: do imposto para combate à pobreza, que, no fundo, reduz a competitividade das empresas instaladas na região, em comparação com outros locais do país. Esse adicional, que incide sobre comunicação e energia, está prestes a terminar, por pressão da indústria local. Outra preocupação é a redução com royalties e participações especiais sobre a produção de petróleo.

Em relação aos royalties, a fonte revelou que a meta do governador Sérgio Cabral é a de manter integralmente os atuais repasses, em relação às áreas já licitadas. Quanto ao pré-sal, o objetivo fluminense é o de minimizar perdas, pois sabe que uma vitória é algo impensável. A meta é uma derrota aceitável. A polêmica sobre o pré-sal começou quando o então presidente Lula disse ser injusto que o Rio ficasse com a fatia maior do bolo. Após o sinal dado pelo presidente - considerado amigo do Rio - os outros estados se rebelaram e não devem aceitar qualquer privilégio para o erário fluminense.

Uma questão que está na mesa das autoridades financeiras se refere às grandes redes de varejo de eletrodomésticos. Segundo a fonte do governo fluminense, muitos clientes que comparecem pessoalmente às lojas têm suas operações registradas como se fossem realizadas via Internet. Com isso, de uma compra integralmente realizada no Estado do Rio de Janeiro, boa parte do imposto é concentrada em um local designado pela empresa varejista como seu centro de vendas - que pode ser São Paulo, Juiz de Fora (MG), Palmas (TO) ou outro qualquer local onde tenha sido aprovada alíquota menor de ICMS.

Assim, além de já ter de lidar com as perdas das vendas reais via Internet, o fisco fluminense descobriu que parcela das compras feitas na boca do caixa, diretamente em lojas do estado, acaba sendo maquiada, para parecer operação online. O vendedor pede os dados ao comprador e diz que o produto será entregue em casa. Sem saber, o cliente de varejo, embora fisicamente presente à loja, faz uma compra online, gerando perdas para o erário fluminense. A cúpula do governo do Rio está debruçada sobre a questão e deve ser anunciada, nos próximos dias, uma ação especial de fiscalização sobre os gigantes do varejo, um setor que está fortemente concentrado, em razão de sucessivas operações de compra e fusão.

Outra questão que já se discute nos corredores do Palácio Guanabara é o aumento do endividamento do estado. O governador Sérgio Cabral conseguiu inúmeros créditos de BNDES, Banco Mundial e Banco Interamericano de Desenvolvimento. Após período de carência, esses projetos vão começar a ser cobrados do próximo governante, o que pode reduzir drasticamente a liquidez do estado. Segundo se especula, o candidato oficial para suceder Cabral, em 2014, deverá ser o atual vice-governador Luiz Fernando Pezão - que já deve estar pensando no quadro que encontrará, se eleito, de elevado endividamento.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 132 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal