Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

23/02/2011 - Jornal Cidade (Rio Claro) Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Lugar de dinheiro de brasileiro é o Brasil


A informação sobre a existência de mais de US$ 50 bilhões pertencentes a brasileiros depositados em bancos da Suíça e de paraísos fiscais sugere a necessidade da adoção de medidas inteligentes para repatriar esse capital e colocá-lo a serviço do desenvolvimento nacional e do bem-estar da população. A ação poderá ser iniciada com a aprovação do projeto do senador Delcídio Amaral (PSDB-MS), que estabelece a alíquota baixa, de 5% de Imposto de Renda (ou 10% se parcelado), para os bens repatriados, que viriam para fomentar as áreas da infraestrutura, habitação, agronegócio, inovação e pesquisa científica e tecnologia. Mas, além do imposto reduzido, há ainda a necessidade de outros atrativos seguros e eficientes que mobilizem e incentivem o investidor a trazer o seu dinheiro de volta. O principal deles é a garantia de rentabilidade nas aplicações nacionais, o que não é muito difícil diante dos juros que o mercado brasileiro paga hoje e com os quais atrai o capital especulativo internacional.

Se conseguir buscar de volta os recursos que os brasileiros, por falta de perspectivas ou qualquer outra razão plausível, enviaram ao exterior, o Brasil lucraria várias vezes. Além de não precisar recorrer ao nômade capital selvagem e de curto prazo, teria a garantia de que a renda das aplicações repatriadas ainda produziria vários filhotes, já que o recebedor dos juros de aplicação é brasileiro e certamente aqui investiria o seu lucro. Para que isso aconteça é fundamental a manutenção da política atrativa e o aperto nos mecanismos de fiscalização do envio de capitais para o exterior. Se a atratividade for mantida, a fiscalização não precisará ser tão rígida, pois o capitalista nacional, como todos os outros, quer é ganhar dinheiro preferencialmente perto de casa.

Quando se fala em capital de brasileiros depositados no exterior, o assunto é exclusivamente a renda negocial e outros recursos lícitos que brasileiros um dia decidiram levar ao mercado externo. Exclui-se desse montante as rendas do tráfico de armas e drogas, dos assaltos, da corrupção e de outros crimes que constituem dinheiro sujo e cuja legalização representaria lavagem, atividade capitulada no Código Penal e na legislação que regula o sistema financeiro. Para essa parcela, o remédio é a repressão policial, o rigor na vigilância de fronteiras e medidas judiciais punitivas decorrentes, inclusive o sequestro dos bens auferidos na ilicitude.

O governo brasileiro tem de aproveitar o bom momento da economia nacional para convencer os investidores brasileiros a trazer de volta as suas aplicações. Garantir o pagamento dos rendimentos que recebem no exterior, evitar a burocracia excessiva e inspirar confiança quanto à estabilidade. Com isso, terá recursos para promover o desenvolvimento, gerar emprego e o bem-estar nacional, resultados que esse dinheiro hoje produz nos países onde se encontra depositado.

Na época da anistia política, falando de exilados, afirmou-se que lugar de brasileiro é no Brasil. Eles voltaram e ajudaram a construir a democracia de que hoje desfrutamos. Agora não é demais dizer que lugar de dinheiro de brasileiro também é no Brasil, pois aqui temos muito o que com ele fazer e podemos oferecer bons rendimentos aos nossos patrícios, seus donos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 198 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal