Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

17/02/2011 - Jornal Cruzeiro do Sul Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Dono de bar trocava rótulos de cerveja pelas mais caras

Estelionato ocorria desde dezembro, em Votorantim, segundo delegado do 5º DP.

Um meio fácil de enganar clientes em seu bar e aumentar o lucro, enquadrado como estelionato, obrigou o comerciante José Claro da Silva, 44 anos, a dar explicações ontem no 5º Distrito Policial, em Sorocaba. Ele é acusado de trocar os rótulos das cervejas mais baratas pelas mais caras. No golpe, uma garrafa de 600 mililitros de marca inferior, normalmente vendida no balcão por R$ 2,00, se transformava numa Skol ou Brahma, a R$ 3,50.
José Claro responderá a inquérito por estelionato na Polícia Civil. De acordo com o delegado Marcelo Carriel, o comerciante disse que fazia isso desde dezembro. A ideia do golpe é simples e o acusado não tinha dificuldade para trocar os rótulos. Ele contou que deixava as garrafas na água e os rótulos se soltavam. Então era só colá-los, junto com os selos no gargalo, conhecidos como "neck label".
As tampinhas porém não podiam ser trocadas, explica Carriel. Para driblar esse detalhe, o dono do bar abria a cerveja antes de servir no balcão para os clientes não perceberem. Investigadores do 5º DP recolheram 110 garrafas comprovadamente adulteradas, segundo o delegado. Tinham o rótulo de uma marca e a tampinha de outra. As marcas que o comerciante mais reaproveitava eram Skol, Brahma e Crystal.
O bar de José Claro fica na rua José Carlos Campos, 469, Vila Vasques, em Votorantim. No depósito, nos fundos do bar, havia 70 caixas de garrafas vazias. Ele já esteve preso por porte ilegal de arma, em 2006, e responde à acusação de estelionato em liberdade. Os policiais descobriram o golpe a partir da investigação de outro crime em Sorocaba.

Paladar

Não há notícia de que algum cliente tenha denunciado o comerciante. O mais provável é que se alguém percebeu a diferença no paladar simplesmente trocou de bar. A troca dos rótulos pode estar sendo feita em mais bares e o consumidor deve ficar atento para não ser enganado, alerta o delegado do 5º DP. Os fabricantes das cervejas adulteradas serão avisados.
Em julho de 2007, a Polícia Civil de Sorocaba apreendeu bebidas falsificadas em duas adegas na Zona Norte. Eram uísque, vodca e vermute revendidos a bares, casas noturnas e compradores comuns. Os falsificadores utilizavam as garrafas vazias originais para envasar as bebidas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 706 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal