Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

01/02/2011 - Jornal de Notícias Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

"É fácil defraudar o SNS"


O Sindicato Nacional dos Profissionais de Farmácia e Paramédicos afirmou hoje, quarta-feira, que "é fácil defraudar o Serviço Nacional de Saúde" e responsabilizou a tutela pelas fraudes detectadas no sector, por não ter criado um sistema seguro.

Diamantino da Silva Elias falava à agência Lusa a propósito da detenção, na quarta-feira, de oito pessoas na sequência de uma investigação que envolveu onze buscas a farmácias e empresas de distribuição de medicamentos na zona de Lisboa.

Entre os detidos estão farmacêuticos e pessoas ligadas a distribuidores de medicamentos, segundo fonte policial, acrescentando que em causa está uma suspeita de burla ao Estado "no valor de muitos milhões de euros".

O presidente do Sindicato Nacional dos Profissionais de Farmácia e Paramédicos (SIFAP) lembrou que "há vários anos que vem alertando o Ministério da Saúde para a "inexistência de um sistema seguro que impeça as fraudes" envolvendo as farmácias e as comparticipações dos medicamentos.

"É fácil defraudar o SNS", disse, exemplificando: "Basta que um utente vá a uma farmácia e não avie toda a receita. Que garantias existem de que os medicamentos que não foram aviados não são facturados ao SNS?", questionou.

Para Diamantino da Silva Elias, "o SNS não tem um sistema que evite estas tentações".

Apesar de sublinhar que não tem conhecimento de fraudes concretas em farmácias, o dirigente sindical alerta para a inexistência de um estatuto profissional que assegure que nas farmácias só trabalhem pessoas devidamente qualificadas.

"Que sentido tem existirem pessoas sem qualificação a dispensar medicamentos?", interrogou, alertando: "Até podem ter cadastro".

Diamantino Elias reconhece, contudo, que apesar de não ser infalível, o sistema é hoje mais seguro do que na altura em que a facturação era feita mediante o envio de etiquetas das caixas dos medicamentos.

"Nunca conseguiram arranjar um sistema que impedissem que as fraudes existissem", disse.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 140 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal