Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

31/01/2011 - B2B Magazine Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

O que aprendemos na primeira década de cibercrimes


Na última década, a Internet protagonizou as principais mudanças na forma de se comunicar, dos contatos interpessoais ao compartilhamento de informação e até à realização de negócios. No entanto, o cibercrime também prosperou durante esse período e custou aos consumidores centenas de milhões de dólares. Com o objetivo de desvendar as atividades dos cibercriminosos nos últimos dez anos, a McAfee apresenta o estudo intitulado Uma boa década para o cibercrime, que faz uma análise das táticas desses criminosos.

De acordo com o diretor de pesquisa de segurança e comunicação do McAfee Labs, Dave Marcus, hoje o cibercrime é um dos setores que mais cresce e lucra. "Desde a criação do vírus (worm) I Love You, em 2000, até as ameaças atuais, observamos que esses cibercriminosos e suas táticas tornaram-se mais sofisticados. Os dias de danos ou destruição, que serviam apenas para os hackers se vangloriar, acabaram; o que importa agora é ganhar dinheiro e não ser apanhado", informa o executivo.

Segundo a entidade Internet World Stats, o uso da Web cresceu de 361 milhões de usuários, em 2000, para quase 2 bilhões de usuários em 2010. Com o crescimento e a popularização da Internet, o aumento dos sites, do comércio eletrônico e de oportunidades de receita, a Web tornou-se um importante alvo para os criminosos virtuais.

Principais golpes

Software de antivírus falso é um dos golpes mais traiçoeiros e bem-sucedidos dos últimos anos. Os criminosos virtuais apostam no medo dos usuários de que seu computador e suas informações estejam em situação de risco, exibindo pop-ups enganosos que solicitam que a vítima adquira um software de antivírus. Ao efetuar essa compra, as informações referentes ao cartão de crédito são roubadas e um malware é transferido em vez do software de segurança.

Outra tentativa são os golpes denominados phishing, formas de enganar os usuários para que esses forneçam suas informações pessoais, uma das ameaças da Internet mais comum e persistente. O phishing pode vir em e-mails de spam, mensagens instantâneas de spam, solicitações de amigo falsas ou postagens em rede sociais.

Além destes, nos últimos anos, os criminosos virtuais se tornaram adeptos da criação de sites falsos que se parecem com os reais. Os criminosos desenvolvem constantemente armadilhas na Internet, desde sites bancários falsos até sites de leilões e páginas de comércio eletrônico cujo objetivo é aguardar que o usuário digite o número do cartão de crédito ou outras informações pessoais.

Ao analisar as futuras tendências do cibercrime, o McAfee Labs prevê a continuação de golpes e truques envolvendo redes sociais, como links mal-intencionados, solicitações de amigos falsas e tentativas de phishing. Os golpes provavelmente devem ficar mais sofisticados e personalizados, especialmente se os usuários continuarem a compartilhar grande quantidade de informações.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 134 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal