Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

31/01/2011 - Planeta News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Recebida denúncia contra ‘golpe’ no HSBC

Acusação é contra funcionária de financiadora e não envolve agência.

O juiz de direito substituto da 2ª Vara de Justiça de Olímpia, Luiz Fernando Silva Oliveira, recebeu denúncia contra Cláudia Cristina Caires, funcionária da agência do HSBC de Olímpia. Ela é acusada de prática de crime previsto no artigo 171 (por diversas vezes) do Código Penal, em 2009. Quanto aos investigados João Aparecido Magro, Rotchilde da Silva Cardoso Júnior, Aparecido Alves da Silva, Paulo Sérgio de Assis e Creuza Aparecida Caires da Silva, os autos foram arquivados por falta de provas, ressalvando o disposto no artigo 18 do C.C.P. (o caso será reaberto caso surjam fatos novos).

Seriam cerca de 30 casos ou mais as fraudes praticadas dentro da agência, na Rua São João, pela funcionária de empresa terceirizada que atua no ramo de empréstimos consignados. As principais vítimas são funcionários públicos municipais e aposentados do INSS. Os valores dos empréstimos somavam mais de R$ 238 mil quando o caso veio à tona.

A Polícia Civil, em agosto de 2009, instaurou inquérito policial para apurar o golpe, que teria sido aplicado pela acusada Cláudia Caíres. Entre as vítimas está uma aposentada, de 62 anos. Foram registrados vários boletins de ocorrências para averiguação de estelionato. Num deles, C.S.G., afirmava que a funcionária do banco foi até seu local de trabalho oferecendo um empréstimo consignado, parcelado em duas vezes, um de R$ 400, e outro de R$ 600, parcelas que nunca foram descontadas. Mas, depois começou a receber cartas de cobrança do banco, informando uma dívida de R$ 17 mil, que não foi contraída por ela. O gerente, no entanto, confirmou apenas uma dívida de R$ 8 mil, que constava já como quitado.

Outra vítima foi R.A.A. Segundo ele, a acusada foi também em seu local de trabalho, ofereceu empréstimos e acabou concretizando um no valor de R$ 1.000,00, quantia que recebeu das mãos da funcionária. Em seguida, recebeu uma carta de cobrança do banco de um empréstimo de R$ 19 mil, que não foi realizado pela declarante. No seu caso também consta um empréstimo de R$ 8.700 que já estaria quitado.

Parte das vítimas alegaram que realizaram empréstimos de pouco mais de R$ 1 mil e chegaram cobranças de parcelas elevadas, de empréstimos próximos ou superior a R$ 20 mil, em alguns casos, passando a casa dos R$ 40 mil. Já outras vítimas alegam que nem empréstimos fizeram.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 448 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal