Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

04/01/2011 - O Liberal Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Especialistas recomendam cautela e pesquisa

Por: Ana Carolina Leal


Região - Para dar espaço aos novos produtos e liquidar o estoque de Natal, os lojistas chegam a baixar os preços das mercadorias em até 70%: são as tradicionais liquidações de janeiro. A época é uma das mais esperadas pela maioria dos consumidores, que se controlam nas compras de final de ano e, com isso, dispõem de recursos extras para levar mais por menos.

Aos consumidores que pretendem aproveitar as promoções para renovar o guarda-roupa, trocar os móveis e eletroeletrônicos, especialistas recomendam cautela, organização e, sobretudo, pesquisa de preços para que o esforço realmente compense.

"Com essas super promoções ou limpa estoque, os comerciantes mexem com as emoções dos consumidores, fazendo com que muitos comprem o que não precisam ou que não irão utilizar", afirma o diretor de Divisão do Procon de Sumaré, Roberto Barilon.

O diretor orienta às pessoas evitarem as compras do tipo "pague dois e leve três". "Antes de efetuar uma compra, analise se o produto é realmente importante e se você precisa dessa quantidade." Barilon também recomenda aos consumidores a não se deixar levar pela oferta ou porcentagem do desconto. "Verique antes suas economias, se essa compra não irá complicar sua situação financeira. Não se esqueça que no início do ano existem muitas despesas como IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor), IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), materiais e matrículas escolares", alerta.

Após decidir pela compra, segundo o diretor, o consumidor deve verificar as condições gerais do produto, possíveis defeitos, amassados, riscos ou se faltam itens ou acessórios. "Exija sempre a nota fiscal, pois, em caso de futura reclamação esta é fundamental. Verifique também o prazo de garantia do produto e postos de assistência técnica na região. Com relação ao pagamento, de preferência a compra à vista, para que você possa sentir a quantia gasta no seu bolso", afirma.

Para o Idec (Instituto de Defesa do Consumidor), uma pesquisa prévia dos artigos desejados pode evitar que o consumidor seja vítima das chamadas "falsas liquidações". Caso o cliente não tenha disponibilidade para checar os preços nas lojas físicas, a dica é fazer a pesquisa pela internet. Uma boa alternativa, de acordo com o instituto, são os sites de comparação de preços. O material servirá apenas como base para atestar se o preço encontrado na megaliquidação na loja física realmente compensa.

Também como alternativa há os anúncios em jornais, rádios ou tevês, que segundo o Idec, devem ser guardados. "O material publicitário poderá auxiliar numa eventual reclamação contra a empresa, caso não haja o cumprimento da oferta", alerta o instituto.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 144 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal