Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

10/07/2007 - O Globo Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Posto vendia gasolina com 90% de solvente


SÃO PAULO - Os fiscais da Agência Nacional de Petróleo (ANP) encontraram nesta terça-feira o que consideram a maior fraude de combustíveis já descoberta em São Paulo. Um posto na zona norte que já havia sido interditado seis vezes foi lacrado. Desta vez, a fiscalização constatou que o combustível que saía das bombas tinha apenas 10% de gasolina. A lei permite, no máximo, 25% de álcool na gasolina, mas nesse caso havia 90% de uma substância não identificada.

A irregularidade surpreendeu os próprios fiscais. O posto Start, na esquina da avenida Casa Verde com a Rua Maria Curupaiti, também funcionava sem registro. Nas oficinas, os mecânicos dizem que é comum os carros chegarem com problemas por conta de combustível adulterado. Para impedir que o posto volte a funcionar normalmente, a prefeitura colocou blocos de concreto impedindo o acesso.

Um outro tipo de fraude foi descoberto em postos da zona leste e do ABC. A quantidade de combustível despejada no tanque do carro não correspondia ao valor cobrado na bomba. A fraude foi constatada no Auto Posto SS, de bandeira branca, na Rua Roberto Simonsen, 599, em São Caetano. O tanque do carro recebia 20 litros de combustível, mas o consumidor pagava por 22,5 litros. A bomba foi recolhida. O posto ainda apresentou problemas na alavanca de outra bomba que não travava como deveria e não zerava o valor e a quantidade a cada abastecimento.

No Auto Posto Bom Despacho, de bandeira Shell, na Avenida Nagib Farah Maluf, número 200, na Coab José Bonifácio, na zona leste, foram encontradas mais irregularidades. Em uma das bombas, a cada 20 litros de álcool vendido o consumidor deixava de receber meio litro. Um cartaz mostrava que uma outra bomba estava quebrada. O dono do posto, no entanto, tinha retirado o lacre do IPEM para adulterar o equipamento. O dono do posto foi autuado. O IPEM prepara normalmente um relatório de proprietários de postos que reincidem nas fraudes para encaminhar ao Ministério Público.

Em todo o estado, 14 ações civis públicas estão em andamento por causa de problemas nas bombas. Até maio deste ano, 3.444 bombas foram verificadas pelo IPEM no estado. Ao todo, 243 foram autuadas, 29,72% mais em relação aos cinco primeiros meses do ano passado. De acordo com levantamento, 328 foram interditadas, um aumento de 30,88%. Do começo do ano até agora, a ANP realizou 3.283 ações de fiscalização no estado de São Paulo, sendo que 219 postos foram interditados por várias irregularidades.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 301 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal