Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

22/12/2010 - Paraná Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Presos policiais por envolvimento com jogo do bicho


O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) de Maringá e de Londrina, em conjunto com a Promotoria de Justiça de Apucarana, denunciaram, nesta semana, 12 pessoas acusadas de envolvimento com o "jogo do bicho" na região de Jandaia do Sul. Entre os denunciados estão dois delegados e um investigador de polícia, que estariam facilitando a atuação da quadrilha em troca de dinheiro ilegal.

Há pelo menos três meses, o Gaeco vinha acompanhando a movimentação da banca "Vale do Ivaí", que, segundo as investigações,gerenciava a atividade ilícita do "jogo do bicho" em Jandaia do Sul, Mandaguari, Marialva, Kaloré, Marumbi, Bom Sucesso, São Pedro do Ivaí, São João do Ivaí, Borrazópolis, Barbosa Ferraz e Fênix.

De acordo com o Gaeco, pelo menos 85 pessoas trabalhavam na atividade ilícita na região. Seis delas estão presas: o dono da banca, Mário Saddi Júnior, conhecido como "Marinho"; o sobrinho e "braço direito" dele, André Luiz Saddi Pires, e outro integrante do bando, José Luiz Bosio. Eles estão presos na Penitenciária Estadual de Londrina II, acusados de corrupção ativa, formação de quadrilha, prática de contravenção penal do jogo do bicho.

Também foram denunciados por formação de quadrilha e contravenção penal do jogo do bicho: Agnaldo César Elias, Rodrigo Michel Valério, Geraldo Borges Fraga, Douglas Silva de Jesus, Miguel Rosa de Jesus e funcionária pública Dirce Aparecida da Silva.

Porém, o que chamou a atenção dos promotores de Justiça que atuaram no caso foi a participação de policiais civis na quadrilha. As investigações mostraram que o ex-delegado de Jandaia do Sul, Gustavo Tucci Nogueira, a ex-delegada de Marialva, Elza da Silva, e o investigador de polícia Pedro Leite da Silva faziam "vistas grossas" frente ao "jogo do bicho" na região e que ainda repassavam informações privilegiadas e sigilosas aos "banqueiros" acerca das atividades policiais de repressão à atividade, em troca de dinheiro ilegal.

Segundo o Ministério Público, a ex-delegada de Marialva teria recebido cerca de R$ 900 reais mensais, entre fevereiro e outubro de 2009, para colaborar com a quadrilha. Já o ex-delegado e o investigador de Jandaia do Sul teriam recebido cerca de R$ 3 mil por mês, de 2004 a outubro de 2010, e a partir desta data, teriam aumentado o valor da comissão para R$ 4,1 mil, a fim de atrapalhar um pedido de investigação instaurado pelo Ministério Público.

Os dois delegados e o policial civil estão presos em Curitiba, acusados de facilitação da atividade ilegal, de corrupção passiva e de formação de quadrilha. Gustavo Tucci Nogueira ainda poderá responder por lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e violação de sigilo funcional.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 218 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal