Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

13/12/2010 - pe360graus Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Roubo de carros alimenta tráfico de drogas e armas no Paraguai

São mil carros roubados por dia no país. Depois da denúncia do Fantástico, você vai saber como se proteger dos ladrões.

Em dois meses de investigação, foi descoberto um crime que atravessa a fronteira e financia uma rede internacional de tráfico de drogas e armas. O “Fantástico” revelou o esquema criminoso das quadrilhas especializadas em roubos de carros. A equipe do repórter Giovani Grizotti seguiu as pistas e localizou a rota da contravenção e mostra hoje como você pode se proteger desses bandidos.

Em Diadema, na Grande São Paulo, não faltam relatos de motoristas que viraram alvo de bandidos. “Fui assaltado cinco vezes, quatro à mão armada e uma por furto. Tem seguradora que não quer nem ouvir meu nome”, conta o empresário Márcio Martins Machado.

Levantamento da Confederação Nacional das Seguradoras mostra que, das dez cidades brasileiras com maior incidência desse tipo de crime, seis estão no estado de São Paulo, onde o mercado do roubo de carros faz aumentar o número de golpistas como José de Abreu.

Na Praça da Sé, Centro da capital paulista, Abreu vende placas e documentos para legalizar os veículos que são levados pelas quadrilhas.

José de Abreu: Só trabalho com original.
Repórter: Eu te compro, só que vou precisar de duas placas também. Eu vou precisar do par.
José de Abreu: Duas placas sai R$ 300.

Dias depois, as placas que serviriam para “esquentar” um carro roubado são entregues. José de Abreu envia o documento pelo Correio.

Repórter :Mas o papel é quente de dentro do Detran?
José de Abreu: Papel é original. Você vê o brasão, vê tudo. Sou honesto, aqui não tem esse negócio de ‘safadagem’.

Pedimos uma perícia ao especialista Oto Rodrigues, que confirmou um escândalo: um documento desviado do Detran de São Paulo foi parar nas mãos de um golpista, o suficiente para enganar policiais numa blitz.

“Sem dúvida nenhuma, esse documento vale quanto pesa: o formulário em branco. O estelionatário coloca o que ele quer”, aponta o perito de documentos Oto Rodrigues.

A Secretaria de Segurança de São Paulo, responsável pelo Detran, determinou a abertura de uma investigação. Entregamos as placas e os documentos ao delegado. Depois voltamos ao Centro da capital paulista para ouvir uma explicação do homem que vendeu o documento e as placas, mas ele preferiu correr.

O esquema do golpista serve ao mercado da clonagem, em que carros roubados passam a circular com placas e chassi de veículos legalizados. Na cidade de Salto del Guayrá, no Paraguai, que faz fronteira com Guaíra, no Paraná, localizamos um veículo roubado há cinco anos em Indaiatuba, no interior de São Paulo.

O dono era o professor João Rubens Júnior, que ficou surpreso ao ver as imagens do automóvel que um dia foi dele. “Um absurdo. Mesmo estando em outro país, imaginei que já tivesse sido desmanchado. Mas agora, depois de cinco anos, e conservado ainda”, comentou.

Fotos mostram que, em barcas improvisadas, muitos carros são levados de Guaíra para o outro lado da fronteira pelo Lago de Itaipu. Em Salto del Guayrá, localizamos receptadores que trocam carros roubados no Brasil por dinheiros, armas e drogas. Um homem diz que paga propina a policiais para cada carro roubado que entra na cidade.

Receptador: Quando um carro entra aqui, você tem que pagar para a polícia para ele não ‘catar’ você. Tenho que pagar para a polícia.
Repórter: Quanto é que tem que pagar?
Receptador: Você paga R$ 400.

Segundo levantamento das seguradoras, mais de seis milhões de carros foram levados pelas quadrilhas nos últimos 20 anos no Brasil. Os dados do primeiro semestre de 2010 indicam um roubo ou furto a cada dois minutos. Então, como se proteger. O consultor em segurança Alexandre Luzardo percorreu as ruas de Porto Alegre e avaliou a postura dos motoristas.

“Ao chegar ao seu carro, observe para todos os lados e veja se você não está sendo observado ou seguido. Antes mesmo de abrir o veículo, se ele possui película, olhe para o interior do veículo, porque o assaltante pode estar ali furtando seu rádio, roubando sua bolsa ou mesmo tendo ligado seu veículo”, alerta Alexandre Luzardo.

No trânsito, o consultor também faz recomendações. “O motorista da frente está rente ao banco, com o vidro aberto e chave na ignição, totalmente despreocupado e tranquilo. Ele é uma potencial vítima de um roubo de carro. Uma das técnicas que deve ser observada pelos motoristas é manter distância do carro da frente ao parar num sinal, porque podemos fazer uma manobra evasiva e tentar sair de qualquer situação que possa ocorrer lá na frente. Outra dica de segurança é não deixar espaço no lado do motorista para uma moto entrar. E sempre cuidando dos espelhos. Se vem um motoqueiro em dupla, suspeite e encurte a distância para não deixá-los parar ao lado do seu veículo”, ensina Alexandre Luzardo.

Essas são algumas medidas de segurança que podem reduzir o roubo de carros. Trata-se de um crime que alimenta o tráfico de drogas e de armas na fronteira com o Paraguai.

A Embaixada do Paraguai não quis comentar a reportagem. Já a Secretaria de Segurança de São Paulo disse que os altos índices de roubo de carros são consequência do um mercado ilegal de peças na Região Metropolitana e acrescentou que, como São Paulo é um estado rico, tem mais ladrões e, em consequência, mais roubos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 199 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal