Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

03/07/2007 - Paraiba.com.br Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Mulher aplica golpe prometendo emprego na Unimed


Uma mulher está se passando por funcionária da Unimed João Pessoa e cobrando dinheiro de pessoas na rua com a promessa de emprego na empresa. O caso mais recente foi descoberto ontem e teve como vítima Janailda Fernandes Mendes, de Alhandra.

De acordo com informações do Departamento de Recursos Humanos da Unimed JP, segunda-feira pela manhã, Janailda compareceu ao Hospital preparada para começar a trabalhar na Zeladoria (área de serviços gerais). Surpresos, os funcionários responsáveis pela seleção de pessoal informaram que não estava prevista nenhuma contratação para o setor.

No Departamento de Recursos Humanos, Janailda contou que foi abordada na rua, em Tambauzinho, por uma mulher que se identificou com o nome de uma funcionária da Zeladoria do Hospital Unimed JP. Ela pediu dinheiro, alegando que precisava providenciar alguns documentos necessários para a contratação. “Eu acreditei porque ela tinha um jeito bom”, comentou a vítima. Após receber R$ 95,00, a estelionatária disse que ela já poderia começar a trabalhar e desapareceu.

Apresentada à funcionária que teve o nome citado no golpe, Janailda afirmou que não tinha sido ela quem havia lhe prometido o emprego. Segundo a descrição da vítima, a pessoa que a abordou é baixa, magra, tem cabelos pretos e lisos e se diz evangélica da Igreja Batista. Ela não usava farda, crachá ou qualquer outro tipo de identificação que comprovasse ser funcionária da cooperativa.

Não foi a primeira vez que um caso como este foi constatado na Unimed JP. Em 2005, algumas pessoas entraram em contato com o Departamento de Recursos Humanos após serem vítimas do mesmo tipo de armação. Na época, o valor cobrado variava de R$ 16,00 a R$ 40,00.

Orientação - A orientação da Unimed é que as vítimas peguem o máximo de informações sobre a pessoa que está oferecendo o emprego e prestem queixa à polícia. De acordo com o artigo 171 do Código Penal Brasileiro, este tipo de crime é enquadrado como estelionato. A pena é reclusão de 1 a 5 anos, além de multa.

A gerente de Recursos Humanos da Unimed, Nara Barreto, reforçou que a empresa não aborda pessoas na rua oferecendo emprego. Os interessados em trabalhar na Cooperativa devem deixar currículo na recepção principal da sede ou do Hospital e aguardar contato para uma entrevista. Somente após uma conversa com a equipe de seleção e a realização de testes é que o candidato recebe a informação se vai ou não trabalhar na empresa.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 336 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal