Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

28/11/2010 - Gazeta de Alagoas Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Estelionatários levam desavisados a cair em golpes em Alagoas

Por: Dulce Melo

Segundo a polícia, Maceió e Arapiraca estão no topo do número de ocorrências.

Eles aparecem das formas mais criativas e convincentes. Em Alagoas, os golpes aplicados pelos grupos criminosos têm causado preocupação à polícia. Maceió e Arapiraca estão no topo do número de ocorrências. Muitas das ações tornaram-se até corriqueiras, mas as pessoas ainda se deixam enganar. O telefone é o principal instrumento utilizado para a maioria dos golpes. As ligações, quando não vêm recheadas de prêmios, apelam para o lado emocional e partem para uma situação que deixa a vítima em polvorosa: o sequestro de alguém da família. Nesses casos, a solução apresentada pelas quadrilhas envolve dinheiro. Seja para liberar o prêmio ou o ‘falso refém’.

Também por meio de ligações, os bandidos têm conseguido limpar contas bancárias. Eles se passam por gerentes de agências, sabem dados precisos do cliente, ligam e falam de mudanças que exigem o repasse do número de documentos e senha.

O público alvo nesse tipo de golpe bancário têm sido as pessoas idosas, aposentadas. Em um só dia, no bairro da Serraria, três senhoras foram vítimas. Dona Maria José Araújo, de 83 anos, aposentada federal, recebeu o telefonema de um homem que se identificou como gerente da agência bancária onde tinha uma poupança. Esse disse que a instituição preocupada com as ações criminosas que vinham ocorrendo, precisava mudar, com urgência a senha da sua conta, mas para isso a idosa teria que informar a atual para a criação da nova.

“Eu sempre fui esperta, mas ele falou com tanta firmeza que caí. O pior é que disse que ia mandar um rapaz com um novo cartão para mim e, enquanto estava ao telefone, esse tal já estava na minha porta. Entregou um envelope com um cartão e pediu que guardasse, só abrisse quinze dias após. Quando fiz isso, tive um choque. Era um cartão da Caixa Econômica Federal em nome de um homem. Corri para o banco . A sorte foi que já tinha feito transferência do dinheiro para outro banco e o que tinha ficado lá era pouca coisa”- relata a idosa. Já as outras duas senhoras, não tiveram a mesma sorte. Uma delas perdeu R$ 14 mil e a outra R$ 6mil.

Mas, ela também foi vítima, por várias vezes, de outros golpes. Dona Maria José chegou a receber mais de 12 telefonemas com o DDD do Ceará. O telefone dela tem bina e resolveu ligar de volta. “Fiquei assustada porque disseram que o número era do sistema prisional daquele estado. Nestes telefonemas, geralmente era uma mulher que falava e oferecia cartões cheios de favorecimentos para efetuar compras no Brasil todo. Até que um dia fui grossa e inventei que tinha comunicado à polícia e que tudo estava sendo monitorado. Então, pararam”- explica.

Amedrontada, hoje ela não abre a porta para ninguém sem que algum parente esteja em casa. “Nem para agente de saúde, nem para carteiro, nem para o entregador de água. Só faço isso se estiver com alguém. Vejo os casos pela televisão e já fui vítima”- conclui.

À portaria da TV Gazeta é enorme o número de pessoas que vão à procura de informações sobre sorteios nos quais teriam sido contemplados com um veículo. Geralmente usam os nomes dos programas do Faustão e Luciano Hulk e enviam torpedos. O intrigante é que as vítimas são pessoas esclarecidas, mas mesmo assim acreditam na possibilidade.

Em São José da Laje, na semana passada, a vítima foi Suely Fortunato Diniz, de 52 anos. Ela recebeu uma ligação proveniente do estado do Paraná avisando que havia sido sorteada com um carro zero quilômetro, só que para receber o veículo teria de depositar o valor de mil reais. Empolgada, a mulher tentou cumprir com a orientação, mas só tinha a metade e depositou os R$ 500.
Os estelionatários voltaram a ligar e disseram que queriam mais dinheiro, como disse que não tinha desligaram o telefone.

Arapiraca

Em Arapiraca o golpe mais comum é aplicado por um casal. As vítimas quase sempre são pessoas seguidas após saques bancários. Os golpistas aparecem do nada na frente das pessoas, derrubam papeis e esperam a gentileza de serem ajudados. A vítima, sensibilizada, apanha os papeis, devolve, e isso, aparentemente, numa cena ‘artística’, gera gratidão. Os criminosos afirmam que pelo auxílio querem recompensar. Falam que são donos de loja e levam a vítima até um local, pedindo que entrem no estabelecimento e procurem a gerente para pegar um presente. Porém, avisam em seguida que não é permitido entrar no estabelecimento com bolsas e pedem para ficar segurando a da vítima. Enquanto ela entra, eles fogem.

Apesar de já ser um golpe bastante aplicado na capital do Agreste, a polícia ainda tem tido dor de cabeça com novas vítimas. Para o comandante do 3º Batalhão, tenente-coronel Marcos Sampaio, no interior as pessoas dão muita credibilidade ao que se fala e isso nem sempre é muito bom.
“As pessoas nas cidades do interior, ainda não têm malícia. Acreditam no que falam e acabam caindo no golpe. A cidade está se desenvolvendo muito e isso tem atraído muitos forasteiros e alguns vêm com más intenções, com a ideia de ganhar a vida facilmente. É preciso ter mais cautela. Outra situação preocupante é o fato de as pessoas não confiarem nas instituições financeiras e deixar em casa valores altos de trinta mil ou muito mais”- relata o coronel.

Para ajudar a população, coronel Sampaio diz que, em parceria com a Câmara de Diretores Lojistas (CDL) de Arapiraca, uma cartilha foi confeccionada com orientações que podem deixar a população precavida. “Nela existe dicas para os mais variados tipos de golpes. Vamos distribui-la e também fazer panfletagem”- conclui o comandante do 3º Batalhão.

No ano passado, os golpes na cidade exigiram, também, iniciativa da polícia. Uma cartilha também foi elaborada e o ex-comandante da unidade militar usou os meios de comunicação para orientar as pessoas. “Esse tipo degolpe foi registrado e ficamos preocupados. Porque era aplicado da mesma forma, fazíamos a divulgação, orientávamos pelo rádio, um veículo que todo mundo tem acesso, mas parecia que havia muita ingenuidade nas pessoas. E eles continuavam ocorrendo. Até que depois de muitas orientações, foi dada uma trégua. Mas, é preciso que a sociedade seja mais esperta”- ressalta o coronel João Marinho.

Quem deve ficar atento também aos golpes é o internauta. Os computadores são invadidos frequentemente com mensagens anunciando movimentação de contas bancárias e também grandes ‘oportunidades’. As instituições financeiras sempre afirmam que não enviam nada por e-mail e que deve ser descartada qualquer mensagem desse tipo. Cuidado, diz a polícia. Os hackers – pessoas com potencial para fazer qualquer mudança, inclusive invadir privacidades de terceiros, movimentando contas pela internet- são capazes de tudo se for dado o menor vacilo.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 170 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal