Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

26/11/2010 - Jornal de Angola Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Banca estuda formas para prevenir fraudes

Por: João Dias


A preocupação com o fenómeno da fraude bancária é patente na banca angolana, que estuda formas de estabelecer uma “muralha” para a travar. O Banco Nacional de Angola (BNA) e os bancos comerciais estão a trabalhar nesse sentido.
O BNA e a Associação Angolana de Bancos realizaram ontem, em Luanda, um seminário sobre “Fraudes no Sistema Bancário”, que pretende contribuir para a consolidação dos projectos que visam prevenir, detectar e combater as fraudes no sistema bancário em Angola.
Ao discursar no acto de abertura do seminário, o administrador do BNA, André Lopes, disse que a fraude é um problema antigo, pois desde as origens da economia que existem vários tipos de fraudes, armadilhas, sistemas e esquemas para enganar e roubar. “Infelizmente, o fenómeno não foi banido e hoje vivemos uma época cercada de fraudes de diversas origens e formas”, disse, sublinahndo que as fraudes com cheques e o branqueamento de capitais, como as mais preocupantes em relação às ligadas ao sistema de pagamentos electrónicos: “temos de nos preparar para fazer face a este fenómeno”.
O sistema bancário angolano está a dar passos significativos na introdução de instrumentos de canais electrónicos, como o cartão multicaixa e os mais recentes cartões das bandeiras internacionais, numa altura em que prepara a instalação da Câmara de Compensação Automática de Angola. Este meio torna possível disponibilizar dois canais de pagamento desmaterializados, que são as transferências a crédito e os débitos directos.
Apesar da tendência universal dos bancos em investir em sistemas de pagamentos modernos, cómodos e automáticos, o administrador do BNA chama atenção para os riscos que o sistema acarreta: “permitem um contacto virtual permanente com a agência bancária, envolvendo uma redução significativa do tempo de compensação, mas acarretam um maior nível de risco, que deve ser mitigado para que este tipo de fraude não se instale em Angola”, referiu.
André Lopes chama também a atenção para a necessidade da banca reforçar a sua capacidade técnica e modernizar a sua infra-estrutura tecnológica, um factor que assegura e estabiliza o sistema financeiro nacional. É necessário que as instituições financeiras bancárias se voltem também para a educação financeira dirigida aos clientes, já que a sua atitude é determinante para o sucesso das iniciativas de combate à fraude.

A banca e a fraude

André Lopes falou do dilema em que as instituições financeiras bancárias se encontram, já que os bancos têm responsabilidade de criar as condições para mitigar o risco da fraude. Mas a eficácia desses instrumentos, depende do comportamento dos seus clientes. “São os clientes que têm de manter e tomar cuidados primários de segurança ao lidarem com o sistema de pagamento”, disse, acrescentando: “A maior parte dos casos de fraude é facilitada pela actuação menos cuidada dos clientes”.

Cartões e comerciantes

André Lopes lançou o repto para que os bancos se preocupem com os comerciantes, pois a sua actuação no mercado dos cartões, se for inadequada e irresponsável, pode constituir um elemento desestabilizador do sistema e propiciar fraudes.
“Muitas fraudes, têm o envolvimento de comerciantes. Por isso, é importante que o processo de adesão seja devidamente acautelado para evitar o licenciamento a entidades que não reúnam condições mínimas para actuar de modo diligente e responsável com o sistema”, realçou.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 252 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal