Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

24/11/2010 - Diário de Coimbra Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

“Disfarce” implicou falsificação de documentos de identidade

Por: Manuela Ventura

Judiciária deteve traficante evadido.

A Polícia Judiciária, através da Directoria de Coimbra, deteve um homem que se encontrava evadido da prisão há mais de um ano. Em causa está um indivíduo de 28 anos de idade, oriundo da zona do Porto, que cumpria uma pena de cinco anos e oito meses de prisão por tráfico de estupefacientes, no Estabelecimento Prisional do Porto.
Em Setembro do ano passado, aproveitando uma saída precária, que lhe foi concedida pelas entidades competentes, o homem resolveu não voltar e “maquinou” um esquema no sentido de se furtar ao olhar das autoridades.
Assim, e uma vez que poderia mais facilmente ser identificado no Norte, viajou rumo à zona de Gouveia, refugiando-se no socalcos da Serra da Estrela. Mas, não lhe bastou a fuga e, por isso, recorreu também à falsificação. Ou seja, para garantir que era um cidadão de pleno direito e não um foragido, procurado pela Justiça, sobre quem emanava um mandado de captura, resolveu falsificar os respectivos documentos de identidade, “inspirando-se” num irmão. Ou seja, usando indevidamente o nome do irmão, o evadido conseguiu obter, junto das entidades competentes, documentos de identificação verdadeiros, em termos materiais, mas «intelectualmente falsos», uma vez que correspondiam a uma terceira pessoa que ficou, assim, com a sua identidade usurpada.
O irmão do condenado por tráfico de estupefacientes servia na perfeição para este exercício, uma vez que tinha o cadastro limpo, ou seja, não tinha quaisquer antecedentes criminais que levantassem suspeita. Todavia, apresentava uma “falha”, uma vez que não possuía carta de condução, documento que, de resto, o evadido também não possuía. E como tinha necessidade de conduzir, também facilmente resolveu este problema, “forjando” um documento nesse sentido. Trata-se, neste caso, de acordo com fonte da Polícia Judiciária de Coimbra, de um documento «grosseiro», “emitido” pelas autoridades brasileiras, que atestava sua aptidão para conduzir.
O homem, de 28 anos, foi detido ao final da tarde da passada segunda-feira pelos investigadores da PJ, em Gouveia. Uma detenção efectuada no quadro de uma investigação paralela. E, uma vez que a identidade do indivíduo levantou suspeitas, foram desencadeadas as diligências para o seu esclarecimento, acabando por concluir que se estava perante um condenado por tráfico de droga, que estava evadido há mais de um ano.
O homem foi detido e entregue pelos investigadores da Judiciária de Coimbra aos Serviços Prisionais. O Estabelecimento Prisional do Porto será o seu próximo destino e ali deverá cumprir a restante pena de prisão por tráfico, para além de aguardar um segundo julgamento, desta feita por falsificação de documentos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 145 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal