Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

05/03/2006 - debrasilia.com Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Corrupção é um assunto mal resolvido dentro do PT

Por: Enock Cavalcanti


Costuma ser doloroso para os petistas falar de corrupção. Esse é o tema do artigo deste domingo da jornalista Helena Chagas, em O Globo. Dizer que a recuperação de Lula nas pesquisas soterrou a discussão sobre o mensalão é uma ilusão com a qual a maioria petista não deve se consolar. Na verdade, os petistas precisariam ter uma tática muito clara, uma postura unitária para enfrentar a questão. E essa postura não se revela, a começar pelo próprio Lula que insiste na tese do "eu não sabia de nada", do "errar é humano". E no diretório nacional do PT, devidamente renovado pelas eleições diretas, esta discussão parece que também sumiu. O que os petistas vão fazer com seus mensaleiros? Perdoá-los e glorificá-los como sugere as recentes declarações do senador Sibá Machado, do Campo Majoritário? Aqueles que renunciaram vão poder ou não ser novamente candidatos? As questões são muitas e o debate sobre elas deveria estar sendo implementado dentro das instâncias do PT. Mas confira o texto de Helena Chagas:


Um assunto mal resolvido

Ainda que Lula diga de vez em quando que o mensalão não existiu, o Planalto não moverá uma palha para salvar os petistas que estão a caminho do cadafalso a partir da semana que vem. Nem mesmo pelo Professor Luizinho, ex-líder do governo que recebeu R$ 20 mil do valerioduto. Pragmaticamente, o governo avalia que é melhor manter distância e entregar o pessoal à própria sorte. Afinal, a cassação de José Dirceu, embora dolorosa, teve o efeito de desvincular o presidente de seu ex-chefe da Casa Civil e das acusações de que era alvo. Coincidência ou não, depois disso Lula começou a se recuperar nas pesquisas.

O distanciamento de Lula não irá necessariamente selar a sorte dos petistas no plenário, já que, mesmo sem ajuda do Planalto, alguns podem acabar salvando os mandatos. Assim como o fato de lavar as mãos não eximirá o presidente de enfrentar esse assunto mal resolvido — o chamado mensalão — mais adiante, na campanha eleitoral.

Afinal, Lula se recuperou nas pesquisas, o cenário parece infinitamente melhor do que há três meses, mas não há como passar uma borracha no passado e se comportar como se não houvesse acontecido tudo o que de fato aconteceu. O tema da corrupção ainda vai aparecer muito no debate, e há um grupo de auxiliares bastante preocupado em convencer o presidente a se preparar. Como? As discussões no Planalto giram em torno de:

1. Não adianta bancar o avestruz: é preciso construir o discurso sobre o mensalão. Divididos, os petistas vêm se consumindo nesse dilema. Uns acham que o tema corrupção se esgotou com a recuperação de Lula, que o povo está cansado de ouvir falar em mensalão e que o assunto deve ser deixado para lá. Outros temem essa estratégia. A oposição terá muitas oportunidades de ressuscitá-lo, e se Lula não tiver um discurso bem preparado, pode acabar colando. Não resolve, por exemplo, continuar negando a existência do mensalão por uma questão semântica. Tecnicamente, pode não ter havido depósitos regulares mensais. Pode ser também, na hipótese mais rósea, que eles não tenham ligação direta com votações ou mudanças de partido. Ainda assim, há muito a explicar: há provas concretas de que o PT patrocinou um esquema ilegal de repasse de recursos a petistas e aliados. Algum dia Lula terá de admitir isso com todas as letras, apresentar as providências tomadas, os responsáveis punidos e as medidas para que não se repita. Só aí poderá virar a página.


2. O próximo palco da disputa é o relatório final da CPI dos Correios. É o canto do cisne da oposição na temporada de escândalos, o momento em que terá que provar por A mais B tudo o que anunciou e prometeu desvendar. Será, para o governo, um momento de desgaste na medida em que vão rememorar denúncias e mostrar provas como a da existência do valerioduto petista que regou a horta dos mensaleiros. Por outro lado, é a hora de rebater tudo o que não foi provado — e aí também há muita coisa. Para isso, porém, o PT não pode ficar parado vendo a banda passar, como fez na maior parte do tempo durante os trabalhos da CPI. Tem que ter explicações convincentes, consistentes e tempestivas. Ou o governo organiza a tropa ou vira alvo de novo.

3. O PT tem que se antecipar e tomar providências públicas contra o caixa dois. Isso já está sendo discutido nos altos escalões petistas. Ainda que as mudanças na legislação em relação ao caixa dois tenham sido pífias, o PT pode adotar procedimentos internos mais rigorosos e transparentes em relação a doações, tesoureiros etc.

4. Os julgamentos na Câmara devem ser concluídos a qualquer custo. Seguindo o raciocínio que leva o Planalto a lavar as mãos em relação aos acusados, o governo vai trabalhar para que a temporada de cassações vá até o fim. A pior coisa, para a candidatura Lula, é ter esse processo de punições interrompido ou ver todo mundo absolvido. Pior ainda, com ares de que houve ajuda do Planalto.

5. Acusados serão bem tratados, mas não ocuparão lugar de destaque nem no governo e nem na campanha. Não é preciso nem explicar por quê.

6. Administrar Duda Mendonça. É um homem-bomba que pode detonar muita gente, não só do governo. A convocação para novo depoimento na CPI provoca certo desconforto. Será fator de preocupação constante na campanha, durante a qual deverá sofrer processo por evasão de divisas, sonegação etc.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 476 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal