Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

17/11/2010 - Midiamax Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpista manda correspondência eletrônica para assessoria da polícia

Por: Eliane Souza


Está circulando na internet um e-mail, alegando ser do Banco Itaú, afirmando que o serviço de atendimento online do banco – Itaú Bankline - sofrerá uma mudança no processo de atendimento, sendo necessária a instalação de um software de segurança. Este e-mail é falso e pode trazer “dores de cabeça” para quem instalar o aplicativo. Á tal correspondência foi parar na caixa eletrônica da assessoria de imprensa da Polícia Civil de MS, que emitiu um alerta aos usuários.

“Recebemos nesta manhã um e-mail que supostamente seria do Banco Itaú, informando que a partir do dia 17/11/2010, o acesso ao serviço Itaú Bankline será feito mediante a instalação de um aplicativo de segurança, sendo a atualização obrigatória a todos os clientes. Após estas informações, é disponibilizado um link para o download do arquivo. Atenção: este e-mail é falso e o internauta não deve clicar no link ou executar o arquivo. O link disponibilizado é intitulado de “Aplicativo – Itaú Bankline”, ele aponta para uma página que não é do banco, o autor tentou criar um endereço com o nome parecido com o do banco. Ao clicar neste, será feito o download do arquivo “ItauBankline.exe”, diz trecho da nota da assessoria da PC.

Este programa é um arquivo executável que, ao ser executado, pode danificar a máquina do usuário. Comumente estes programas instalam um programa espião (spyware, composição das palavras inglesas “spy”, que significa espião, e “ware”, de software - programa de computador), que copiam senhas de acesso, principalmente de bancos e sites de relacionamento, enviando para terceiros.

Este tipo de e-mail é conhecido como Phishing, uma fraude eletrônica onde o autor se faz passar por uma empresa de credibilidade, ou algum órgão público, para convencer a vítima cair no golpe.

Normalmente, esta técnica é utilizada quando o objetivo é a obtenção de dados (número de cartão de crédito, número de documentos diversos, senhas de acesso e informações pessoais diversas).

No caso da mensagem recebida, visando dar credibilidade à mensagem, o autor colou o logotipo do banco (1), utilizou o nome da empresa “Itaú Uniclass” (2), utilizou a logo serviço 30 horas (3) e inventou um selo de segurança “Guardião Itaú Bankline” (4), informando que o sistema de segurança ainda não foi instalado.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 243 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal