Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

11/11/2010 - Olhar Direto Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Candidatos acusam fiscais de fraudar concursos

Por: Jardel Arruda


Dezenas de candidatos compareceram a Defensoria Pública em Cuiabá, na tarde desta quinta-feira (11), para acusar os fiscais dos concursos para Bombeiro Militar, Agentes Prisionais, Escrivão e Soldado da Polícia Militar, de fraudar o teste físico em benefício de alguns postulantes em detrimento de outros. Eles também denunciaram o caso ao Ministério Público Estadual e agora aguardam uma chance de repetir o exame.

Segundo os denunciantes, um exemplo claro do favorecimento de alguns candidatos pode ser notado no teste de impulsão, realizado pelos postulantes ao cargo de agente prisional. De acordo com eles, os fiscais obrigavam alguns a saltar com os pés juntos, enquanto outros podiam simplesmente mantê-los em paralelo, mas separados (como o edital prevê). Todos os que pularam, conforme a primeira situação, reprovaram. Enquanto isso, os outros foram aprovados.

“Eles não respeitaram o edital. A bancada de avaliação era desqualificada, ou eram todas cartas marcadas. Fraude mesmo”, argumentou Esdriana Cardoso, concorrente a agente prisional, residente de Rondonópolis. Como várias pessoas, ela veio a Cuiabá apenas para participar do teste físico e afirma ter sido prejudicada por fiscais corruptos ou desqualificados.

Outro caso que chamou a atenção foi o de Érica Alessandra da Silva. No teste de corrida ela foi considerada apta por um dos fiscais, enquanto outro a qualificou como inapta. “Eles não se entendem nem mesmo entre eles”, reclamou a candidata. Além disso, segundo outros postulantes, a corrida foi realizada com pelotões mistos (com homens e mulheres), sendo que havia uma diferenciação entre os gêneros quanto à distância a ser percorrida.

A defensora pública de Segunda Instância Cível Raquel Regina Souza Ribeiro afirmou que a Defensoria Pública ainda estuda quais ações deve propor contra o Estado. Inicialmente será preciso entrevistar todos os candidatos supostamente lesados e então averiguar, com cautela e precisão, como adiantar o caso.

“É preciso ressaltar que o Estado publicou um edital complementar que prevê, aos candidatos que obtiverem liminar, a possibilidade de repetir o teste no dia 21 de novembro. Ou seja, se eles já dispõe uma nova data é porque eles assumem a existência de algum erro”, pontuou a defensora. Segundo ela, a Defensoria vai agir com agilidade para permitir à maioria dos candidatos possíveis a possibilidade de refazer o teste ainda este mês.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 124 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal