Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

12/11/2010 - Abril Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF abre inquérito para apurar possíveis crimes do Panamericano

Entre eles estão gestão fraudulenta, prestação falsa de informações aos órgãos competentes e inserção de elementos falsos em demonstrativos contábeis.

A Polícia Federal (PF) instaurou, na tarde desta sexta-feira (12), um inquérito policial para apurar possível prática de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional pelo banco Panamericano. Entre eles estão gestão fraudulenta, prestação falsa de informações aos órgãos competentes e inserção de elementos falsos em demonstrativos contábeis.

A investigação está sob responsabilidade da Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros (Delefin), da Superintendência Regional do Estado de São Paulo, e foi baseado em fatos divulgados pelo banco, bem como em nota à imprensa publicada pelo Banco Central (BC).

Na quinta (11), o Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo também instaurou um procedimento investigatório criminal para apurar eventuais ilícitos cometidos pelo banco e acompanhar a fiscalização do Banco Central (BC) sobre a instituição.

Os responsáveis pela investigação são os procuradores da República Rodrigo Fraga Leandro de Figueiredo e Anamara Osório Silva.

O controle acionário do Panamericano havia sido assumido pelo Grupo Silvio Santos em 1969. Pouco antes de a crise envolvendo o banco estourar, a Caixa Econômica Federal adquiriu 49% das ações. Os 51% restantes, que ainda pertencem ao grupo, podem precisar ser vendidos para pagar um empréstimo de R$ 2,5 bilhões junto ao Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que foi usado para restabelecer o equilíbrio patrimonial da instituição.

De acordo com o presidente do BC, Henrique Meirelles, do rombo de R$ 2,5 bilhões apurado na contabilidade da instituição financeira, cerca de R$ 2,1 bilhões são referentes a desequilíbrios do próprio banco e R$ 400 milhões relacionados a administração de cartões de crédito. Meirelles não deu detalhes sobre as inconsistências contábeis do Panamericano e disse que não é competência do BC fiscalizar o setor de cartões de crédito.

Nesta terça (9), o “Estado de S. Paulo” publicou que o banco foi vítima de uma fraude descoberta há cerca de um mês pelo BC. De acordo com o jornal, diretores do Panamericano registraram ativos e créditos fictícios para inflar os resultados. A fraude não teria sido percebida pelos controles internos da instituição nem por auditores independentes.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 196 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal