Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

04/11/2010 - Rádio Renascença Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Processo contra presidente da Mota-Engil será suspenso, acredita advogado

Tal como António Mota, também Filipe Soares Franco, presidente da Opway, foi ontem constituído arguido, no âmbito da “Operação Furacão”, desencadeada há cinco anos.

O advogado de António Mota, presidente do grupo Mota-Engil, acredita que o processo contra o seu cliente será suspenso pelo Ministério Público, logo que considere regularizadas todas as dívidas ao fisco. Daniel Proença de Carvalho desvaloriza o facto de António Mota ter sido ouvido como arguido, no âmbito da “Operação Furacão”.

“É um enquadramento que foi feito inicialmente, mas o Ministério Público tem vindo a considerar que se trata apenas de uma questão fiscal que, uma vez regularizada, o Ministério Público requer a suspensão do processo. É isso que tem acontecido em todos os casos das empresas que regularizaram a situação fiscal”, afirma Daniel Proença de Carvalho.

A Mota-Engil pagará o que tiver que pagar, garante Daniel Proença de Carvalho. O advogado de António Mota admite que, neste caso, o Ministério Publico esteja a funcionar como um cobrador de impostos.

“Neste caso acaba por ser isso, embora possa acrescentar que a lei prevê esta posição do Ministério Público que em casos deste tipo, uma vez regularizada a situação fiscal, o processo ou é arquivado ou é suspenso”, diz o advogado.

Proença de Carvalho sustenta que os efeitos práticos de uma eventual suspensão ou de um arquivamento serão semelhantes, embora considere que o desfecho mais adequado seria o arquivamento.

Ontem, António Mota foi ouvido no Departamento de Investigação e Acção Penal (DCIAP), tendo sido constituído arguido, por suspeita da prática dos crimes de fraude fiscal agravada e de branqueamento de capitais.

Tal como patrão da Mota-Engil, também Filipe Soares Franco, o presidente da Opway, foi ontem constituído arguido, no âmbito da “Operação Furacão”, desencadeada há cinco anos.

De acordo com a procuradora-geral adjunta - Cândida Almeida - citada pelo jornal Público, já terão sido recuperados cerca de 100 milhões de euros, de dívidas ao fisco, no âmbito deste processo.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 222 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal