Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

17/06/2007 - Correio Forense Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Advogada falsificava até Diário Oficial


Depois de falsificar liminares, certidões judiciais e até mesmo edições do Diário do Poder Judiciário para arrancar ilicitamente dinheiro de um cliente, a advogada Virgínia Amália Marques Napoli, 35 anos, foi presa em cumprimento a um mandado de prisão sob acusação de estelionato. A advogada vinha sendo investigada há mais de um mês pela Delegacia de Crimes Econômicos e Contra a Administração Pública (Dececap).

A acusada foi denunciada pelo comerciante Paulo Roberto Farias Baleeiro, que contratou os serviços da advogada para entrar com um ação contra um empresa responsável por um incêndio que destruiu totalmente o seu estabelecimento, localizado no município de Feira de Santana. A vítima só percebeu que estava sendo lesada após quatro meses.

Durante esse período a advogada conseguiu ‘arrancar’ cerca de R$ 30 mil do comerciante alegando que as quantias seriam para custear os processos, quando na verdade ela nem chegou a dar entrada na ação. Logo após o incêndio, em dezembro do ano passado, Paulo Roberto entrou em contato com a advogada para dar entrada na ação contra a empresa.
Os dois se encontraram algumas vezes e a advogada foi muito positiva em relação a vitória do cliente, que chegou a achar estranho o fato de ela ter dado entrada no processo em Salvador, já que o fato aconteceu em Feira de Santana, mas ela o tranqüilizou e falou que era comum.

Em pouco tempo Virgínia apresentou liminares, Documentos de Arrecadação Judiciária (DAJ), Certidões do processo e até publicações no Diário do Poder Judiciário sobre a indenização do processo. A advogada chegou a mostrar documentos ao cliente comprovando que a indenização seria entre R$ 750 mil a um milhão de reais.

Empolgado com a notícia deque seria em breve ressarcido do prejuízo, o comerciante pagava todas as quantias solicitadas pela advogada. Ele montou um dossiê com os documentos e após quatro meses sem ver resultado, começou a desconfiar do golpe. Entrou no site do diário e percebeu que a empresa dele não estava nas publicações. Resolveu então apertar a advogada, que depois de algum tempo negando, assumiu o golpe, mas afirmou que devolveria o dinheiro.

O comerciante registrou queixa na Dececap e após um mês de investigação, o delegado Jackson Carvalho, plantonista da unidade, representou pela prisão temporária da advogada, que foi deferida anteontem e cumprida na manhã de ontem. Em depoimento, Virgínia confessou o golpe, mas não quis falar com a imprensa. A advogada cumprirá a prisão temporária de cinco dias, que pode ser prorrogada, na custódia da Policia Interestadual (Polinter), na Piedade. A polícia investiga se há outras vítimas da advogada.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 930 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal