Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

31/10/2010 - Gazeta de Alagoas Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Comissão de Combate à Corrupção registrou 12 denúncias nessas eleições

O número foi bem menor do que no primeiro turno.

A Comissão de Combate à Corrupção Eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL) recebeu no plantão deste final de semana, apenas 12 ligações de eleitores com denúncias de crimes eleitorais e irregularidades nas seções de votação. O número foi bem menor que no plantão do primeiro turno, quando foram recebidas 124 ligações.

“Com apenas quatro candidatos e um número menor de eleitores nas ruas e até mesmo nas seções eleitorais, essa redução era prevista. Mesmo assim, em respeito aos eleitores que confiam no trabalho da OAB/AL, mantivemos o plantão e demos os encaminhamentos às denúncias recebidas”, analisa a presidente da Comissão, Rachel Cabús.

A maioria dos casos recebidos referiam-se a venda de votos e transporte irregular de eleitores. Também foi recebida denúncia de propaganda irregular de um dos candidatos e de problemas em duas urnas eletrônicas por supostamente não mostrar a fotografia do candidato. “Entramos em contato com o secretário de Tecnologia de Informação do Tribunal Regional Eleitoral, Daniel Macedo, e ele enviou técnicos ao local, que verificaram que a urna estava funcionando normalmente”, informou a presidente da Comissão.

TRE - Durante todo o domingo de eleição, a OAB acompanhou a sessão permanente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AL). A medida atendeu a um pedido do presidente do Tribunal, desembargador Estácio Gama de Lima, em cumprimento à Resolução 23.205/2010 do TSE, que dispõe sobre os processos de fiscalização do sistema eletrônico de votação.

No início da manhã, a presidente da Comissão, Rachel Cabús, participou da primeira verificação das assinaturas digitais dos sistemas eleitorais para checagem das urnas. A checagem é feita por amostragem e sua obrigatoriedade é prevista na Resolução do TSE. Às 16h o processo foi repetido, com a presença do advogado Felipe Cordeiro, também integrante da Comissão da OAB/AL. Ele também acompanhou a votação paralela que aconteceu na antiga Reitoria (ao lado do TRE), com três secções eleitorais. O objetivo deste mecanismo é mostrar que a urna eletrônica é realmente segura. O procedimento aconteceu simultaneamente à votação oficial, de 8 às 17h. As urnas da votação paralela foram sorteadas entre as urnas eletrônicas que seriam utilizadas nas eleições.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 139 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal