Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

25/10/2010 - IDG Now! Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Mercado Pago terá ferramenta para pagamento expresso

Por: Renato Rodrigues

Plataforma de transações online irá anunciar esta semana o recurso, que permite agilizar a compra em sites de e-commerce.

O Mercado Pago – empresa do Mercado Livre que possui a plataforma de pagamentos eletrônicos de mesmo nome – irá lançar esta semana um ferramenta para facilitar o pagamento no serviço. O recurso, chamado de "Pagamento Expresso", é uma espécie de "1-click checkout", da Amazon, adaptada para a realidade brasileira.

"Aqui, acrescentamos uma tela mais ao processo, para pedir o código de segurança o número na parte de trás do cartão)", explica Marcelo Coelho, Diretor do Mercado Pago no Brasil.

Com o novo recurso, as informações sobre formas de pagamento e endereço para recebimento de produtos digitadas ficam registradas na base de dados do Mercado Pago e são apresentadas ao comprador sempre que for efetuada um outro pagamento.

O serviço permite que sejam armazenadas até cinco formas de pagamento e cinco endereços para recebimento. Neste caso, o usuário deve escolher um local de recebimento e/ou forma de pagamento sempre que efetuar uma transação.

O público-alvo do Mercado Pago são pequenos e médios empresários que possuem lojas de e-commerce. Cobrando 5% sobre cada venda, o Mercado Pago assume as operações de back office, infraestrutura, cobrança e negociação com as 10 bandeiras que são aceitas pelo sistema, explica Coelho. Além disso, os dados são criptografados e ficam nos servidores da empresa, nos EUA.

O Mercado Pago faz a intermediação entre vendedores e compradores online. Dentro do Mercado Livre, o serviço recebe o dinheiro do comprador e avisa ao vendedor que pode despachar o produto. Ao receber, o consumidor confere se está tudo certo e dá o ok para o MP liberar o dinheiro para a loja. Fora do site, no entanto, esse aviso pode levar até 14 dias após o pagamento do comprador.

Para combater fraudes, o MP exige que o produto seja enviado com Aviso de Recebimento (AR), um documento com valor legal assinado pelo carteiro e pelo comprador. "Em seis anos, praticamente não tivemos fraudes", diz Coelho, que conta haver seis pessoas apenas para cuidar da mediação de conflitos entre as partes.

Embora não revele números, o executivo afirma que o MP é líder entre as 12 empresas do ramo no país. E, mesmo assim, ele considera como concorrentes "para valer" apenas nomes que ainda não estão no país, como a Amazon Payments e a Google Checkout. "E acho difícil que elas se adaptem ao Brasil", diz. Um dos fatores, por exemplo, é a inusitada preferência nacional pelo boleto bancário, inexistente em outros países – e que aqui respondem por 30% do volume de vendas. "Além disso, seguimos critérios de verificação de fraudes e de padrões de segurança de nível internacional", afirma.

Presente em seis países (o Brasil responde por metade do volume), o Mercado Pago processou 2,4 milhões de negócios no primeiro semestre, o dobro do registrado no mesmo período de 2009.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 129 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal