Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

22/10/2010 - EPTV.com Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia apreende mais um carro de empresário investigado por fraude

Outro veículo de luxo de Maurício de Paulo Manduca foi apreendido há uma semana.

A Corregedoria da Polícia Civil apreendeu mais um carro de luxo do empresário Maurício de Paulo Manduca nesta sexta-feira (22), em Campinas. Ele é um dos acusados de fazer parte de uma quadrilha que fraudava licitações públicas na região. O veículo foi levado para a sede da corregedoria. Na semana passada, outro carro de Manduca foi apreendido em um estacionamento no bairro Botafogo.

A Justiça determinou a apreensão de 15 carros de luxo dos membros do esquema há três semanas. Eles são fruto de lavagem de dinheiro dos contratos fraudados, investigados pelo Ministério Público.

Oito pessoas já foram presas por suspeita de integrarem a mesma quadrilha. As fraudes aconteciam em contratos na áreas de segurança, limpeza e vigilância. Segundo o promotor do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), Amauri Silveira Filho, o esquema pode ter causado um prejuízo de R$ 615 milhões aos cofres públicos.

Dos presos, dois policiais foram soltos por falta de provas. No dia 15 de outubro, a mulher de um dos lobistas suspeitos conseguiu o direito de responder às acusações em liberdade.

Sanasa entra com representação contra promotor

O advogado contratado pela Sanasa, José Luís Oliveira Lima, entrou com uma representação na Corregedoria Geral do Ministério Público Estadual na última quarta-feira (20). Ele é contra a conduta do promotor do Gaeco no inquérito que resultou na prisão dos acusados.

O advogado alega que o promotor divulgou na imprensa um possível envolvimento da empresa e que só pediu esclarecimentos 11 dias depois. O promotor José Cláudio Tadeu Baglio disse que as críticas não abalam o objetivo do MP em defender o interesse público e que todas as diligências tiveram o aval da Justiça.

Entenda o caso

Oito pessoas foram presas durante a operação da Corregedoria da Polícia Civil e do Gaeco, órgão ligado ao Ministério Público, no dia 17 de setembro. Autoridades suspeitam de fraudes em licitações em todo o país.

O grupo agia de duas formas. Em uma delas, dois lobistas de Campinas pagavam propina a políticos e funcionários públicos para direcionar o resultado da concorrência. Desta forma, empresas envolvidas garantiam os contratos.

Outra forma de atuar era fazer acordos com outras empresas para combinar os preços e conseguir que as ofertas do grupo fossem sempre as mais baratas. Depois, os lucros eram divididos. A Justiça acolheu o pedido do Ministério Público de quebra de sigilo bancário e bloqueio de contas de todos os suspeitos presos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 162 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal