Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

19/10/2010 - O Dia Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PMs da Ilha sob o olhar de falsário

Por: Vania Cunha

Falso coronel do Exército disse que supervisionou ação no bairro.

Rio - Num registro de roubo e auto de resistência do dia 4 de agosto, na 37ª DP (Ilha do Governador), sobre a morte de um ladrão de carro por policiais militares, o falso tenente-coronel do Exército Carlos da Cruz Sampaio Júnior declarou que supervisionava uma operação de PMs no bairro Moneró, na Ilha. Na ocasião, ele se apresentou como coordenador de Análise e Integração da Secretaria de Segurança Pública. Ele foi preso quinta-feira por porte ilegal e falsidade ideológica.

O falso militar, Carlos da Cruz Sampaio, afirmou não ter efetuado nenhum tiro na operação | Foto: Reprodução de Vídeo
O roubo teria ocorrido perto do local onde os policiais faziam operação. Na fuga, o ladrão deparou-se com as patrulhas, trocou tiros e foi baleado. Em depoimento, Sampaio disse não ter efetuado nenhum disparo, mas que “partiu em auxílio daqueles policiais”. Ele afirmou que “estava supervisionando uma sequência de operações visando a diminuir a criminalidade nas áreas acima da média visada pela Secretaria de Segurança”. A PM abriu sindicância para apurar, em 20 dias, a relação de Sampaio com os batalhões .

“Vamos apurar, mas, se isso aconteceu, está clara a indicação de irregularidade dele e de quem permitiu sua participação. Esse tipo de supervisão tática, no local, é feita por alguém do batalhão. Se confirmado, alguém será responsabilizado”, afirmou o comandante-geral, coronel Mário Sérgio Duarte.

A certeza de que a fraude nunca seria descoberta era tanta que o falso tenente-coronel figura em outro registro onde se declara militar. Em agosto de 2009, ele fez queixa na 20ª DP (Vila Isabel) pelo roubo de sua carteira, cartões bancários e documentos, entre eles, a falsa identidade militar.

Policiais da 4ª DP (Central) estiveram ontem à tarde na casa do falso oficial e intimaram o pai dele, o militar Carlos Sampaio, a depor como testemunha. O delegado Ricardo Dominguez acredita que o pai pode ajudar a polícia a descobrir o motivo de o filho ter falsificado os documentos. A investigação da PM será chefiada pelo coronel Paulo Mouzinho, comandante do 4º CPA (Niterói). Já na Secretaria de Segurança, a delegada Milena Oliveira será responsável pela apuração.

Erros primários denunciam carteira forjada

A carteira apreendida com Sampaio aponta pelo menos 10 irregularidades, algumas delas, primárias. O documento é assinado por um capitão, o que não é permitido, já que é de uma patente inferior ao do suposto tenente-coronel. Em uma área onde aparece a indicação de promoção, não consta a publicação do Diário Oficial da União e a data é de 25 de dezembro de 2010. Na carteira de Sampaio, o nome da mãe aparece primeiro, mas nas identidades militares o nome do pai vem antes.

Segundo investigações, o número do documento constaria como dependente de Carlos da Cruz Sampaio, o pai do falso tenente-coronel. O documento teria sido emitido dia 30 de julho de 2010, 18 dias após Sampaio ser contratado pela Secretaria de Segurança. De acordo com policiais que conheceram Sampaio, ele só apresentava cópia colorida do documento, nunca o original.

YouTube

Dois vídeos divulgados no Youtube neste sábado mostram o falso tenente-coronel Carlos da Cruz Sampaio Júnior, que trabalhava na Secretaria Estadual de Segurança, comandando um curso de tiros para PMs. O falso militar foi preso usando uma carteira de identidade adulterada do Exército e um revólver calibre 38, na última quinta-feira.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 325 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal