Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

12/06/2007 - Jornal de Notícias Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Empresa privada vai controlar prescrição de medicamentos

Por: Inês Cardoso


A partir do próximo ano, uma empresa privada irá fazer o controlo de medicamentos e meios complementares de diagnóstico prescritos em todo o país. A concepção do sistema e respectiva exploração serão entregues por concurso público, a lançar dentro de semanas pela Administração Central do Sistema de Saúde. O objectivo é acabar com a "falta de eficácia" que resulta da existência de sistemas díspares nas 18 sub-regiões de Saúde e evitar situações de burla ou falsificação.

As falhas no controlo e conferência de facturas têm sido detectadas em estudos de entidades como a Inspecção-Geral de Saúde. Nalguns casos, a conferência chega a demorar "sete ou oito meses", como é o caso na sub-região de Lisboa, afirmou ao JN fonte do Ministério da Saúde.

Nalguns distritos foram desenvolvidos sistemas internos das sub-regiões, enquanto noutros já foram contratados serviços privados. O objectivo será, no desenvolvimento do futuro sistema centralizado, "aproveitar as melhores experiências já existentes". Um exemplo pode ser dado pela sub-região de Viana do Castelo, em que o sistema informático permite identificar desvios relativos ao "perfil prescricional" de cada médico e detectar quando há aumento súbito de encargos financeiros com os fármacos.

A criação e gestão do centro de conferência de facturas de medicamentos e exames irá custar, nos próximos quatro anos, até 30 milhões de euros. De acordo com a portaria que autoriza a lançar o concurso público, publicada ontem em Diário da República, a maior fatia será paga já em 2008, tendo em conta que é o ano de desenvolvimento da solução necessária e de aquisição de software e hardware.

Progressivamente, as despesas de gestão do centro tenderão a baixar, devendo situar-se nos 6,6 milhões de euros em 2011. A explicação essencial é a perspectiva de aumento da prescrição electrónica. Actualmente, a estimativa do Governo é de que "o volume de prescrições electrónicas ronde os 34%".

Além de permitir que a conferência da factura seja mais rápida e barata, a prescrição electrónica pode também trazer vantagens para os utentes. Isto porque algumas das aplicações informáticas já existentes têm, como suporte, informação sobre a totalidade dos medicamentos disponíveis por um determinado princípio activo, assim como as dosagens e preços.

Para Pedro Nunes, bastonário da Ordem dos Médicos, a criação de um centro de conferência é uma boa notícia. "O que desejamos é que a fiscalização seja o mais eficaz possível", afirma, acrescentando que se devem evitar tanto "fraudes" como "desperdícios" na prescrição.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 331 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal