Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

08/10/2010 - Olhar Direto Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Empresas do Estado estão sendo alvo do golpe da "Lista Telefônica"

Por: Julia Munhoz


Uma nova ação de golpistas e estelionatários tem sido aplicada em várias empresas mato-grossenses, o chamado golpe da "Lista Telefônica”, que a cada dia tem levado mais empresários a buscar auxílio jurídico para se livrar do problema, que inicialmente pode parecer pequeno, mas gera muitos transtornos.

Em menos de um ano os casos deste tipo de golpe cresceram de forma considerável e, pelo menos uma vez por mês, advogados são procurados por empresários que relatam passarem por cobranças absusivas de contratos fraudulentos e até mesmo ameaças.

Em um primeiro momento, uma pessoa entra em contato com os responsáveis pela empresa alegando ser do serviço de telefonia, para divulgações de informações sobre assinantes, e pede que seja preenchido um cadastro com todas as informações, para a publicação dos contatos.

Na maioria das vezes os contratos são encaminhados por email ou via fax. Na especificação de contratação do serviço consta como sendo de forma gratuita, porém, quando o documento é enviado de volta, os golpistas alteram os termos e colocam o valor a ser cobrado.

O advogado Nelson Frederico Kunze Pinto explica que a primeira cobrança, na maioria das vezes, vem com valores pequenos que variam entre R$ 200 e R$ 300 reais, diante disso muitas empresas ignoram o fato e pagam a taxa cobrada.

Porém, Kunze ressalta que, o prejuízo maior vem na segunda fatura que, em alguns casos, alcança valores de R$ 3 mil reais, ou mais e, só a partir deste momento, que as empresas começam a desconfiar do golpe.

Em um dos casos em que atendeu, o advogado disse que o cliente sofreu falsas ameaças de ter as operações bancárias bloqueadas pelo Banco Central, caso não pagasse a fatura, que havia sido emitida Ediclass Editora de Listas LTDA, que além do Mato Grosso já aplicou golpes no Tocantis, Santa Catarina, Paraná e Rondônia.

Frederico pontua que, cabem as empresas, pedirem a suspensão da cobrança e indenização por danos morais, que muitas vezes não acontece por serem empresas fantasmas criadas apenas para esse tipo de golpe.

Ele lembra ainda que, por muito tempo as pessoas, sejam na forma física ou jurídica, não buscavam esses direitos por considerarem a justiça como lenta. “Apesar do pouco efetivo e da alta demanda de processos, a justiça tem funcionado de forma a priorizar os casos de urgência. Nos casos em que há uma demora é para não correr o risco de ser injusta”.

No caso do golpe da lista, de acordo com o advogado, a justiça leva aproximadamente 30 dias para emitir a decisão e nos casos de urgência chegam há cinco dias.

Como prevenir

Para evitar o “Golpe da Lista Telefônica”, a orientação aos empresários é de não passarem quaisquer informações por telefone e, muito menos, assinar contratos enviados por faz ou email.

Em caso de contato via telefone, peça para a telefônica enviar um representante pessoalmente e ao assinar contratos fazer cópia autenticada.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 672 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal