Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

05/10/2010 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Amapá elege deputada suspeita de fraudar Bolsa Família

Por: Hudson Corrêa


Presa na operação Mãos Limpas da Polícia Federal e eleita deputada estadual do Amapá, com a segunda maior votação (9.660 votos), Marília Goés (PDT) é suspeita de fraudar programas sociais, incluindo o Bolsa Família.

A operação da PF, que investiga suposta cobrança de propina em órgãos públicos do Amapá, levou à prisão no dia 10 de setembro o governador do Estado, Pedro Paulo Dias (PP), candidato derrotado à reeleição.

Também foi preso o ex-governador (2003 a abril passado), Waldez Góes (PDT), que disputou e perdeu vaga ao Senado. Ele é marido de Marília e, até a operação, tinha apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que pedia votos na TV.

Com a investigação da PF, surgiram outras suspeitas como fraudes contra o Bolsa Família que, segundo a PF, eram comandadas pela Sims (Secretaria de Estado da Inclusão e Mobilização Social).

A Sims está atualmente sob comando de Denise de Nazaré, mulher do governador. Antes, era dirigida por Marília.

A PF diz que programas sociais dos "governos Estadual e Federal, como Bolsa Família", eram usados para atender pessoas que não se enquadravam na renda para obter o benefício.

Conforme a polícia, Marília mandava fraudar cadastros de programas sociais para beneficiar pessoas "em troca de favores" políticos. Até donos de carros e casa própria eram incluídos, disse a polícia sem relatar qual programa.

Para fraudar o Bolsa Família, Marília precisaria agir nas prefeituras do Amapá, que são responsáveis pelo cadastramento de pessoas, com renda per capita mensal de até R$ 140, aptas a receber o benefício.

O MDS (Ministério do Desenvolvimento Social) afirmou que só recebe informações da PF sobre suposta fraudes após a investigação ser concluída.

Procurada, Marília não telefonou de volta. Em programas eleitorais na TV, ela nega qualquer acusação.

A reportagem não conseguiu contato com a assessoria do governo nos números de telefones informados pelo gabinete de Pedro Paulo.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 115 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal