Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

01/10/2010 - Mídia News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

MPF aciona deputado e empreiteiro por desvio de R$ 1 mi

Homero Pereira já é acusado de desviar R$ 9,9 mi do órgão; esquema seria de licitação fraudulenta.

O deputado federal Homero Pereira (PR) foi acionado, novamente, pelo Ministério Público Federal de Mato Grosso, por improbidade administrativa, juntamente com o ex-superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Antônio Carlos Carvalho de Souza.

Desta vez, o MPF pede a responsabilização deles, juntamente com o dono da empresa Concremax Concreto Engenharia. e Saneamento Ltda., Jorge Antônio Pires de Miranda, pelo superfaturamento de R$ 1.133.713,33 nas obras de construção da sede da Administração Regional do Senar em Cuiabá.

Conforme o MPF, a irregularidade foi revelada pelos laudos de análise de custo da obra, solicitados pela Controladoria Geral da União (CGU) à Caixa Econômica Federal (CEF). Os documentos apontaram um sobrepreço de mais de 30%, em itens que vão desde as fundações, passando por tubulações, até o revestimento de pisos e paredes da construção.

Segundo as procuradoras responsáveis pelo caso, mesmo depois de notificados pela CEF e pela CGU para desfazer a situação irregular, os dirigentes do Senar e da empresa Concremax não tomaram as providências. Na época em que foram cometidas as irregularidades, Homero Pereira e Antônio de Souza eram, nesta ordem, presidente do Conselho de Administração do Senar e o encarregado pela Gestão Orçamentária Financeira da entidade paraestatal.

Na ação civil pública por ato de improbidade administrativa enviada à Justiça Federal, o MPF pede que Homero Pereira, Antônio de Souza e Jorge Pires de Miranda sejam condenados a ressarcir a União em R$ 1.133.713,33; paguem multa de até duas vezes o valor do dano e respondam pelos danos morais coletivos gerados. O MPF requer, ainda, que os acusados tenham os direitos políticos suspensos e sejam proibidos de contratar com o Poder Público pelo prazo de cinco a oito anos.

Competência da União

Dentre outras fontes, o Senar é mantido com verbas da contribuição previdenciária incidente sobre a folha de pagamento do setor rural e aplicável ao prestador de mão de obra rural – pessoa jurídica, agroindústria de psicultura, avicultura, suinocultura e carnicicultura, Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, Federações da Agricultura e Sindicatos Patronais Rurais.

De acordo com o relatório apresentado no site do Senar Nacional (http://www.senar.org.br/senar/gestaoOrcamentaria/receita2008Regiao1.htm), só nos anos de 2008 e 2009, quase a totalidade da receita da paraestatal na região centro-oeste (91,40% e 92,48%, respectivamente) foi preenchida com recursos públicos.

Desvio de R$ 9,9 milhões

Em agosto passado, conforme MidiaNews antecipou, o Ministério Público Federal (MPF) em Mato Grosso encaminhou à Justiça duas ações pedindo a responsabilização do deputado federal Homero Pereira (PR), candidato à reeleição, e outras 23 pessoas por envolvimento em fraudes em licitações para a aquisição de cartilhas de programas do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Segundo o MPF, os crimes causaram um prejuízo de R$ 9.926.601,41 aos cofres públicos.

Entre os envolvidos estão a esposa do deputado Homero, Irene Alves Pereira, ex-gerente administrativa do Senar; José Antônio de Ávila, o Zeca D'Ávila (DEM), ex-deputado estadual, ex-presidente da Famato e presidente da Fefa; Normando Corral, vice presidente da Famato; e Antonio Carlos Carvalho de Sousa, do Fefa e Famato.

Conforme a ação civil pública por improbidade administrativa e a denúncia (ação penal) do MPF, entre os anos de 2002 e 2010, a "quadrilha" formada por 23 pessoas ligadas ao Senar e a empresas particulares fraudou quatro procedimentos licitatórios, na modalidade concorrência, e favoreceu a dispensa ilegal de licitação em oito contratos realizados com o Senar-MT.

"Interesses políticos"

O deputado Homero Pereira disse, por meio de sua assessoria, que só tomou conhecimento das denúncias por meio da imprensa. "Apresentarei minha defesa e contestação no momento em que for notificado pela Justiça, o que ainda não aconteceu", disse.

Em nota de esclarecimento, o parlamentar aponta para uma suposta "existência de interesses escusos nesta hora decisiva". "Venho sofrendo vários ataques de adversários com objetivo claro de prejudicar minha campanha", disse.

Confira a íntegra da nota:

Nota de Esclarecimento

1 - Lamento os fatos divulgados pelo Ministério Público Federal, pois fui um dos responsáveis pela implantação, consolidação e expansão do aprendizado rural em todos os municípios de Mato Grosso. Nos anos em que estive a frente da entidade primei pela economia e transparência nas despesas do órgão.

2 - Apresentarei minha defesa e contestação no momento em que for notificado pela Justiça, o que ainda não aconteceu. Das duas ações do MPF/MT contra mim só tomei conhecimento pela imprensa. Não fui intimado em nenhuma delas, o que me deixa muito preocupado, pois antes de conceder a mim o direito a defesa, já me condenaram ao fazer a divulgação maciça de meu nome na imprensa véspera de eleição da qual participo.

3- Apesar de acreditar na seriedade do MPF/MT, sinto-me prejudicado pelo procedimento adotado pelo órgão federal. Não quero crer que haja qualquer influência política com o intuito de desestabilizar minha campanha. Pois precisamos confiar nas instituições que constituem a base de nossa democracia.

4 - Destaco também que meu patrimônio é fruto de muitos anos trabalho e compatível com a renda proveniente desse trabalho. Renda devidamente declarada na Receita Federal e também no Tribunal Eleitoral.

5 - Não posso negar, porém, a existência de interesses escusos nesta hora decisiva. Venho sofrendo vários ataques de adversários com objetivo claro de prejudicar minha campanha. Contudo, confiou, primeiro, na proteção de Deus; segundo, na inteligência e discernimento da população em não se deixar influenciar por essas acusações que, provarei, serem falsas.

Sem mais a tratar

Deputado federal Homero Pereira"

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 238 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal