Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

06/06/2007 - SEGS / Valor Econômico Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraudes com seguros crescem e levam a perdas de R$ 5 bilhões


O crescimento das fraudes anda tirando o sono de executivos de muitas seguradoras. Uma pesquisa da Accenture mostra que as pessoas fraudam principalmente porque sabem que não serão pegas.. E, pior, se a fraude for descoberta, têm a certeza de que não serão punidas. Com isso, os prejuízos das seguradoras chegam a R$ 5 bilhões por ano no Brasil. Nos Estados Unidos, batem na casa dos US$ 24 bilhões.

Nos EUA, a Accenture descobriu que um em cada quatro americanos acredita que é aceitável fraudar uma companhia de seguro. A metade dos entrevistados (49%) afirma que as pessoas cometem uma fraude, porque sabem que vão sair impunes.

No Brasil, o cenário é bem parecido com o dos EUA. Com base na análise de estatísticas da Fenaseg (a federação nacional das seguradoras), a conclusão é que todo mundo sabe da existência

de fraudes nas apólices. Mas nem todos estão cientes de eventuais punições se a ocorrência for descoberta. Dos entrevistados, 43% acham que não serão pegos; 24% dizem que mesmo sendo pegos, não serão punidos.

Outro ponto é que poucos segurados sabem que os prejuízos causados pelo pagamento de sinistros fraudulentos acabam repercutindo no preço do seguro, destaca Marino Aguiar, responsável pela área da Accenture que acompanha o setor de seguros. "O bom cliente acaba pagando pelo mal segurado", diz.

Ao contrário dos EUA, as estatísticas de fraudes no mercado brasileiro ainda são muito restritas, avalia Luiz Rodrigo Barros e Silva, da área de estratégia da Accenture. A Fenaseg vem se esforçando para entender melhor os números. A principal reclamação é que falta uma padronização e uma metodologia única para quantificar as perdas. "É preciso um melhor compartilhamento das informações", diz.

Estima-se que de 10% a 15% dos sinistros sejam fraudulentos. Deste total, apenas 1,7% é efetivamente comprovado pelas seguradoras. Com relação aos prêmios, a projeção é de que as fraudes respondam por 8%, dos quais só 1,2% é comprovado.

Há dois tipos de fraudes. A primeira é quando o segurado informa um sinistro que não existiu. A segunda é quando o sinistro ocorre de fato, mas o segurado agrava e aumenta o valor das perdas. O segmento onde ocorre o maior número de fraudes é o de autos, que responde por 33% dos prêmios do seguros no Brasil. Mas o ramo vida e o de saúde também são alvos freqüentes de fraudes.

Um amplo relatório da agência de classificação de risco Standard and Poor's (S&P) sobre o setor de seguros no país, divulgado na semana passada, mostra que as companhias brasileiras estão conseguindo ser mais eficientes e melhorando o com-bate às fraudes. Um dos conselhos da Accenture é o investi-mento em tecnologia.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 425 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal