Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

09/09/2010 - TEK Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Vítimas de cibercrime sentem-se culpadas


Raiva é o sentimento mais frequente entre aqueles que já foram vítimas de ataques informáticos, mas quase todas afirmam sentir responsabilidade pelo sucedido, revela um estudo recente da Symantec, que procurou avaliar o impacto psicológico desta realidade em 14 países.

Dos sete mil internautas entrevistados, 65 por cento admitiram já ter sido vítimas de ameaças online, desde esquemas fraudulentos a malware ou assédio por parte de predadores sexuais. Em todos estes casos, a culpa está presente, com as vítimas a sentirem-se responsáveis pelo que lhes aconteceu.

Entre as várias ameaças, os vírus e o malware são as que mais utilizadores afectam, com 51 por cento dos entrevistados a afirmar terem sofrido infecções. Esquemas fraudulentos (10%), phishing (9%), ataques a perfis em redes sociais (7%), fraude com cartões de crédito (7%) e assédio por predadores sexuais (7%) são as que se lhes seguem na lista.

No que respeita à culpabilização por parte das vítimas, o phishing é a prática que mais suscita este tipo de sentimentos entre os afectados. Setenta e oito por cento afirmam sentir-se "altamente responsáveis" pelos ataques deste género que sofreram. Os esquemas fraudulentos (globalmente considerados) despertam a mesma sensação em 77 por cento dos casos e 73 por cento consideram-se responsáveis pelas infecções por vírus e outros tipos de malware que as suas máquinas sofreram.

Esta ideia, associada à de que não será feita justiça, faz com que a maior parte dos visados não faça queixa à polícia dos ataques, tendo as forças de segurança sido referidas como o meio a contactar por apenas 44 por cento dos entrevistados.

O sentimento de impotência é apenas mais um, a somar à lista das reacções "emocionais" ao cibercrime disponibilizada pelos autores do estudo, que também afirmam que apenas 9 por cento dos entrevistados se sentem "muito seguros" online, 86 por cento estão preocupados com as ameaças na Web e 28 por cento esperam mesmo ser vítimas de fraude.

Apesar disso, apenas 51 por cento dos adultos antecipam uma mudança dos seus comportamentos online caso sejam vítimas de ataques.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 170 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal