Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

10/09/2010 - R7 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia prende grupo paulista suspeito de aplicar golpes em Minas Gerais

Estelionatários prometiam liquidação de dívidas em BH, Cuiabá, Salvador e Brasília.

A Polícia Civil de Minas Gerais prendeu quatro homens e duas mulheres suspeitos de fazer parte de uma quadrilha de São Paulo que aplicava golpes contra devedores de títulos e empresas, com promessas de liquidação de dívidas em Belo Horizonte, Cuiabá, Salvador e Brasília.

Para aplicar os golpes, que só em Minas devem ter rendido mais de R$ 500 mil, os estelionatários telefonavam para empresários e pessoas com dívidas pedindo a regularização da situação, que era realizada através de correspondência eletrônica para um inexistente Cartório Centralizado de Cobrança da Corregedoria Geral de Justiça do Estado. Eles utilizavam um timbre falso da instituição.

A polícia estava trabalhando no caso desde janeiro, a pedido da Procuradoria de Justiça do Estado de Minas, que denunciou ocorrências de golpes de estelionato envolvendo a Corregedoria de Justiça.

O grupo de golpistas é formado por pessoas que moram em São Paulo. Segundo o delegado Denilson dos Reis Gomes, da Delegacia Especializada de Investigações de Fraudes, a quadrilha era comandada por um homem identificado como Daniel Dantas, um dos presos, que agia em casos de fraudes contra corregedorias de Justiça de Minas e de outros estados. Além disso, ele agia em fraudes contra bancos, em casos de falsificação de documentos e, principalmente de cartões de créditos.

Com os documentos falsos, o grupo abria contas em agências bancárias para depositar o dinheiro vindo dos golpes aplicados em pessoas e empresas com protestos. Os supostos estelionatários escolhiam, em jornais especializados, nomes de pessoas e de empresas que estavam com títulos protestados nas praças das três cidades e mais Belo Horizonte, para depois iniciarem contatos, via telefone, para iniciar o golpe.

Feito o contato telefônico um dos golpes, um deles falava que os títulos da pessoa ou empresa poderiam ser protestados e criava problemas para o devedor, porque “funcionários” da suposta Corregedoria Geral de Justiça haviam enviado correspondência via Correios, mas o destinatário não havia sido localizado.

Assim, para dar uma oportunidade para que o devedor quitasse sua dívida e a regularizasse, era orientado para que pudesse receber a autorização para fazer o depósito bancário e as quitações. A Polícia Civil não tem um cálculo fechado de quantas pessoas foram enganadas em Minas, pelos golpistas, mas os prejuízos são próximos de R$ 500 mil. O dinheiro foi depositado em uma conta bancária de “laranjas” remunerados pelos estelionatários.

Os três homens e três mulheres presos foram indiciados por crimes de estelionato e falsificação. Eles podem, se forem a julgamento na Justiça, serem condenados a mais de seis anos de prisão. A polícia afirmou que o grupo pode ser transferido para as cidades de Cuiabá, Salvador e Brasília, onde existem registros de golpes semelhantes e que teriam sido aplicados pelo mesmo grupo.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 293 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal