Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

10/08/2010 - ES Hoje Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Nuroc prende quadrilha acusada de falsificar alvarás judiciais e desviar mais de meio milhão

A prisão ocorreu no momento em que mais um golpe estava sendo aplicado.

O Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas (Nuroc), da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), concluiu um inquérito policial e prendeu uma quadrilha que aplicava golpes em aposentados do INSS e agências financeiras e desviou mais de meio milhão de reais. A prisão dos envolvidos aconteceu em cumprimento de diversos mandados de prisão temporária expedidos pela Vara de Inquérito Criminais de Vitória.

A ação teve início em 15 de Julho de 2010, quando foram presos Guilherme Lazário Rodrigues, 29 anos; Jaider Correa da Silva, 26 anos; e Bruno Leal Carlos, 27 anos. No entanto, todos foram liberados pela Justiça e novamente presos na manhã desta segunda-feira (09). O líder da quadrilha, Jaider Correa da Silva, 26 anos, foi preso pela segunda vez na madrugada de domingo (08), em uma boate localizada na Grande Vitória, oportunidade em que ele estava comemorando o aniversário de sua esposa.

As investigações duraram cerca de um ano e iniciaram após o irmão de um falecido, que possuía um inventário tramitando na 2ª Vara de Órfãos e Sucessões de Vitória, perceber que os valores deixados pelo mesmo teriam sido sacados sem o conhecimento da família. Foi feito o rastreamento dos valores e colhido diversos depoimentos que, confrontados com os dados obtidos, levaram a autoria do crime praticado, obtendo-se a confissão por parte de quase todos os indiciados.

Inicialmente foi identificada a fraude em dois alvarás judiciais nos valores de R$ 109.226,88 e R$ 88.983,58. Posteriormente foi constatada a fraude em outro alvará no valor de R$ 311.417,63. O dinheiro desviado foi usado para adquirir vários carros, possivelmente com o objetivo de ocultar ou dissimular a origem do valor com a venda do bem.

A prisão ocorreu no momento em que mais um golpe estava sendo aplicado. Bruno e Jaider tinham se dirigido a uma agência dos Correios, localizada no Bairro 13 de Maio, em Vila Velha, que possuía convênio para saques bancários, com objetivo de fazer uma retirada no valor de quatro mil reais. Jaider estacionou o veículo próximo a agência, enquanto Bruno, portando uma identidade falsa (com os dados de um aposentado do INSS), se dirigiu ao caixa para sacar o dinheiro, mas foi surpreendido pela polícia.

Jaider tentou fugir, mas foi perseguido e preso na Rodovia do Sol. Em seu veículo foi encontrada uma pistola calibre 380 municiada. Também foi cumprido mandado de busca e apreensão na residência de Jaider, em Cariacica, sendo apreendidos diversos documentos com dados de aposentados do INSS. Guilherme foi preso no local onde havia combinado de receber sua parte do produto do crime das mãos de Bruno.

No momento da prisão, os investigadores do Nuroc descobriram que a quadrilha realizava outro tipo de golpe, mais vantajoso. Veja abaixo como funciona o esquema.

Entenda como funcionava o golpe:

1. Guilherme era corretor de financeiras e se valia de informações privilegiadas que possuía em razão de sua atividade, obtendo dados pessoais, fiscais, bancários, bem como os números dos benefícios dos aposentados do INSS, repassando os para os demais integrantes da quadrilha;
2. De posse destes, Jaider e Bruno faziam solicitações de crédito (empréstimos bancários) junto às financeiras e os enviavam, através de Guilherme, para analise das instituições que ofereciam empréstimos consignado para aposentados do INSS;
3. Paralelamente a quadrilha abria contas bancárias com os mesmos dados dos aposentados, mas utilizando-se de cédula de identidade falsa, onde era usada uma fotografia de um dos integrantes da quadrilha, e o ano de nascimento era modificado para um período mais recente;
4. Após aprovado o crédito bancário pela instituição financeira, o valor era depositado na conta aberta em nome do aposentado, e um dos integrantes usando um documento falso se dirigia a agência bancária e fazia o saque do valor integral.

Foragidos

Dois integrantes da quadrilha que também tiveram a prisão decretada estão foragidos. Um dos indiciados que está foragido é Anderson Reis Antero que utilizava pinças e lâminas de alta precisão, além de cola especifica para fazer cortes milimétricos e retirar os dados de um cheque sustado por motivo de extravio (furto/roubo). Ele montava outros cheques com os dados coletados, além de utilizar o cheque original com novos dados. Posteriormente os cheques eram depositados nas contas de "laranjas" e o valor era sacado na "boca" do caixa da agencia bancária.

O outro foragido é Patrice Lumumba Mendes, que se evadiu desde o inicio das investigações. Ele cedeu sua conta bancaria para a realização de um depósito no valor de aproximadamente R$ 311 mil, desviado de um dos processos de inventario.

Curiosidade

- Durante as investigações também foi descoberto que Jaider tinha participação em uma quadrilha instalada dentro de uma empresa distribuidora de remédios. Ele era o responsável por vender os remédios que um grupo de cinco funcionários da empresa subtraia do carregamento de medicamentos.
- Foram identificadas seis agências bancárias usadas pelos criminosos para aplicar os golpes. A quadrilha agia a cerca de três anos neste tipo de crime.
- Nesta semana os indiciados pretendiam dar entrada em dez pedidos de empréstimo por consignação em nome de aposentados.
- Em apenas em um dia, Bruno chegou a sacar R$ 18 mil reais.
- Também identificamos outros golpes aplicados pelos indiciados.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 809 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal