Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

30/07/2010 - V News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpe do boleto: falsas associações emitem cobranças inexistentes

Polícia investiga pelo menos 5 associações que estariam praticando o golpe.

A polícia investiga uma associação que estaria emitindo boletos de cobrança sem prestar nenhum tipo de serviço. As vítimas do golpe seriam comerciantes e empresários da região e de outras partes do estado.

As contas chegam pelo correio e o nome que vem no documento confunde o contribuinte.

No meio de tantas contas e impostos do salão de beleza, Niete se assustou com um boleto de cobrança. Uma taxa de anuidade de quase R$ 480,00 para uma associação que ela jamais se cadastrou. A Aceesp - Associação Comercial e Empresarial do Estado de São Paulo. O nome confunde, é muito parecido com o da Associação Comercial de São Paulo.

Em dúvida, foi pesquisar na internet. "Vi essa sigla e lá informava 'golpe do boleto' e outras pessoas afirmando que haviam recebido este boleto e era falso", diz Niete Silva.

O boleto não diz que tipo de serviço a associação presta. A equipe de reportagem da TV Vanguarda foi então até a capital no endereço especificado na cobrança.

O local é próximo a uma das esquinas mais famosas de São Paulo, o cruzamento da Av. São João com a Ipiranga.

Em um prédio, uma sala pequena e apenas um funcionário. Quando percebeu que se tratava de uma equipe de tv, questionou: "vocês receberam um monte de denúncia lá?".

O chefe não está, fala com a reportagem pelo telefone. Nega que a assossiação seja uma farsa e pede para que o funcionário mostre um documento com o tipo de serviço prestrado.

O documento apresentado diz que a associação oferece consulta de cheques, fichas cadastrais. Tentamos esclarecer como funciona a associação para quem paga o boleto e a explicação é a seguinte:

"O cliente recebe uma senha para fazer a consulta, que pode ser por internet e telefone". A reportagem questiona onde está a pessoa que atende o telefone, o funcionário responde que está em outros endereços, mas não fala quais.

O serviço prometido é desconhecido de quem recebe o boleto.

Só o departamento de policia de proteção à cidadania na capital investiga hoje pelo menos 5 associações e sindicatos que não prestam serviço algum mas que emitem boletos de cobrança. É uma prática que existe há pelo menos dois anos e se multiplica pelo país.

Há associações em São Paulo que emitem boletos até para outros estados como Minas Gerais e Tocantins. Está no código penal: emitir boletos e não prestar serviço é crime de duplicata simulada. Se a vítima chegar a efetuar o pagamento, então, quem emitiu responde também por estelionato.

"A nossa orientação é para que as pessoas e empresas, em nenhuma hipótese façam o pagamento. A única cobrança legal é das associações e sindicatos que estão registrados no Ministério do Trabalho", diz o delegado Antonio Carlos Barbosa.
Depois da entrevista, a Polícia Civil da capital foi até o local e apreendeu documentos e boletos de cobrança. Um inquérito já foi instaurado para apurar se há irregularidade na associação.

O delegado orientou que as pessoas que receberem esse tipo de boleto, devem registrar a ocorrência na policia, mesmo que não tenha efetuado o pagamento.

O presidente da associação citada nesta reportagem já foi condenado por seis anos, por estelionato, no ano de 2005. Ele cumpriu a pena com prestação de serviço.

Golpe da lista telefônica

Uma variação do golpe do boleto é o golpe da lista telefônica, mostrado em reportagem do VNews em 14 de junho.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 305 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal