Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

24/07/2010 - pe360graus Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Criminosos usam prontuários falsos para transferir pontos por infração no trânsito

Fraudadores conseguem transferir os pontos na carteira de motorista até para quem já morreu.

Um golpe usado por motoristas que correm o risco de ter a carteira suspensa por excesso de multas está sendo investigado no Sul do país. Os criminosos conseguem transferir os pontos pelas infrações até para quem já morreu.
 
Milton Rodrigues de Freitas foi flagrado duas vezes falando ao celular enquanto dirigia, em Porto Alegre, em dezembro de 2009. Multado, perdeu oito pontos na carteira.

“Como assim? Ele morreu no dia 28 de novembro do ano passado”, conta a viúva de Milton.

A viúva do suposto infrator mostra o atestado de óbito do marido: ele em novembro, no mês anterior às multas.

De acordo com o Detran, o nome e os documentos de Milton foram usados para que o verdadeiro motorista não perdesse pontos na carteira e tivesse suspenso o direito de dirigir. Fraudes como essa contam até com participação de infratores de aluguel.

Em Curitiba, o repórter Giovani Grizotti flagrou um despachante que, por R$ 50, transfere para laranjas os pontos dos motoristas que levaram as multas.

Despachante: Eu tenho mais ou menos uns vinte motoristas.
Repórter: É gente que não dirige mais?
Despachante: Não, é gente que não se importa de ter cinco pontos, é gente que não anda muito, é gente que trabalha o dia todo em escritório e só sai com o carro no fim de semana e não leva multa.

De acordo com o Ministério Público gaúcho, os falsários também usam prontuários de atendimento médico para tentar anular multas. Estes foram apresentados como prova por motoristas que diziam estar correndo para levar doentes a um hospital. Mas os boletins de atendimentos são idênticos. Só mudam o nome do paciente, a data e o horário de entrada.

“Algumas pessoas, que seriam os pacientes, sequer existem nos bancos de dados. As patologias são sempre as mesmas, as orientações e recomendações médicas são sempre as mesmas, a assinatura é idêntica. Ou seja, nitidamente falsificados estes documentos”, atesta o promotor de Justiça Flávio Duarte

No Rio Grande do Sul, o Detran está conferindo a documentação de quem quer transferir pontos da carteira, para evitar falsificações.

“Os processos estão sendo encaminhados para a Polícia Civil, para a Polícia Judiciária para a apuração do ilícito penal, do ilícito criminal”, afirma Ildo Szinvelske, diretor técnico do Detran-RS.

Despachantes e advogados que fornecem informações falsas estão sendo identificados e podem pegar até cinco anos de prisão para cada tentativa de fraude.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 193 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal