Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

01/07/2010 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Comerciantes criam punição para ladrões de lojas em Nova York

Por: Corey Kilgannon e Jeffrey E. Singer

Suspeitos têm identidade apreendida e foto exposta na loja. Eles pagam até US$ 400 ao gerente para serem liberados.

A A&N Food Market, em Flushing, no Queens, tem uma clientela quase exclusivamente de chineses. O mercado vende enguias vivas, tartarugas e rãs, língua de pato congelada e mingau enlatado. Estes produtos, como todos os outros vendidos em cada bairro da cidade, atraem ladrões. Mas o A&N Food Market tem uma maneira inusitada de lidar com o problema.

Primeiro, os ladrões suspeitos, capturados pelos seguranças da loja, têm a identidade apreendida. Depois, eles são fotografados segurando os itens que são acusados de tentar roubar. O dono da loja ameaça usar as fotos para constrangê-los e, em seguida, chamar a polícia. A menos que o acusado abra mão em troca de algum dinheiro. "Nós geralmente cobramos US$ 400 de multa", disse o gerente Tem Shieh, que monitora os clientes em 30 câmeras do sistema de vigilância da loja.

Capturar suspeitos e ladrões exigindo pagamento em troca da liberdade é uma prática adotada na China. A medida é legal nos EUA, mas é aberta à interpretação. A lei estadual de Nova York permite que os lojistas tenham privilégios que funcionam entre o trabalho do policial e a prisão de um cidadão. Mas a ameaça de delatar o crime cometido por outra pessoa em troca de dinheiro pode ser considerada uma forma de extorsão.

Muitos clientes acusados de roubo alegam pobreza. Mas eles geralmente conseguem dinheiro para evitar a humilhação pública e a prisão. O medo de serem deportados fala mais alto.

No supermercado Chang Jiang, onde os comerciantes vendem produtos frescos na calçada, cartazes mostram fotos de clientes acusados de roubo e de um homem sendo escoltado pela polícia, juntamente com o aviso: “Se nós pegarmos, vamos ter a sua foto catalogada; e sua multa será de US$ 400. Ou você pode ir para a prisão".

No entanto, em maio, duas imigrantes chinesas foram acusadas injustamente de furto no Supermercado Nova York, uma loja sob a ponte de Manhattan, em Chinatown. Li Yuxin lembrou que, após ser acusada de roubo, começou a chorar na frente de uma multidão de compradores. A outra imigrante, Huanqiong Liang, uma dona de casa de 60 anos, disse que as falsas acusações mancharam sua reputação.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 166 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal