Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

22/06/2010 - O Documento Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

TCE confirma fraudes em licitação de R$ 18 milhões e proíbe novos contratos da Ábaco

Por: Cláudio Moraes


O pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso aplicou hoje multa de R$ 6,4 mil ao ex-secretário estadual de Administração, Geraldo Aparecido de Vitto Júnior, por supostas irregularidades no pregão 079/2009 para contratação de empresas para prestação de serviços de tecnologia da informação com fornecimento de mão de obra. O certame de valor global de R$ 17,968 milhões foi vencido pela empresa Ábaco Teconologia de Informação Ltda, de propriedade dos empresários Lenil Kasuho e Jandir José Milan - foto. Este é o atual presidente da Fiemt (Federação das Indústrias de Mato Grosso) e um dos coordenadores da campanha do empresário Mauro Mendes (PSB) ao Governo.VEJA AQUI

O TCE confirmou que houve direcionamento da licitação para a empresa Ábaco. De acordo com relatório do conselheiro Valdir Teiis, o edital de licitação foi elaborado de "forma desmedida" para beneficiar a empresa em várias exigências.

O fato da SAD ter agrupado o pregão em 21 itens distintos, todos vencidos pela Ábaco, gerou questionamentos. "O agrupamento restringiu a competitividade e contrariou dispositivos legais", diz trecho do relatório do conselheiro Valdir Teiss.

Punições

No dia da licitação, outras três empresas teriam "participado" do certame e nenhuma delas questionou o direcionamento do edital a Ábaco. Na decisão tomada pelo TCE hoje, não é determinada a anulação da licitação, "visto que os serviços foram prestados e um cancelamento ensejaria enriquecimento ilícito dos empresários com o possivel ressarcimento aos cofres públicos pelo gestor da SAD".

Além de acatar a denúncia, o TCE proíbe o Governo de Mato Grosso a fazer contratações de serviços da Ábaco com base no Registro de Preços originado pela licitação viciada. Além disto, os contratos já firmados não poderão serem automaticamente renovados.

O conselheiro também determinou a realização de novas licitações, bem como a relação dos contratos firmados pelo Governo de Mato Grosso com a Ábaco. Os autos dos processos agora serão enviados ao MPE.

O ex-secretário Geraldo Aparecido de Vitto Júnior e os donos da Ábaco podem ser denunciados por crime de improbidade administrativa. A decisão será dos promotores.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 507 vezes




Comentários


Autor e data do comentário: ABELARDO ORIEL - 23/06/2010 12:02

Eu já havia cantado a pedra em publicações anteriores e isso é só o começo precisam agora denunciar as fraudes em aquisições de mobiliários, leia-se MILANFLEX - as especificações de uma carteira escolar nos editais da SEDUC/SAD possuem aproximadamente 03 páginas, enquanto uma geladeira algumas poucas linhas, imagino que a complexidade na fabricação de uma geladeira seja maior que de uma carteira escolar, e ainda assim com todos os detalhes exigidos no edital todo ano a SEDUC faz aquisição de carteiras escolares, quando uma empresa comprova de forma administrativa que possui o produto com as caracteristicas exigidas em edital, inexplicavemente teem suas amostras reprovadas, basta um levantamento de todos os pregões realizados nos ultimos 10 anos para aquisição de carteiras ecolares e vão se surpreender com o resultado. O ex-superiendente está nisso ai tambem podem levantar. Visitem o depósito da SAD de materiais danificados e vão constatar que parece ser o deposito da MILANFLEX, um grande numero de produtos que ainda estão dentro das garantias que o edital exige (5 anos) totalmente deteriorados pela péssima qualidade do que é ofertado, verifiquem as logarinas das sala de pregões da SAD e confirmarão o que escrevo.



O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal