Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

03/06/2010 - Gazeta de Ribeirão Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Caça à fraude virtual

Por: Gabriela Yamada

Agora é a Note One MP pede dissolução de empresa que explora venda em site acusado de estelionato; grupo já tem condenação.

O Ministério Público Estadual (MPE) de Ribeirão Preto entrou com uma ação de dissolução judicial da G-1 Comércio de Eletrônicos Ltda., que explora o comércio de eletrônicos por meio da loja virtual Note One, acusada de estelionato. Na ação, o MPE também pede para que o site da empresa (www.noteone.com.br) seja imediatamente suspenso, sob pena de prisão em flagrante do responsável.

De acordo com o promotor do Consumidor, Carlos Cezar Barbosa, há indícios de que a Note One seja um “braço” da Stop Play Comércio e Distribuição de Eletrônicos, empresa acusada de vender produtos e não entregar e cujo responsável, Michel Pierre de Souza Cintra, responde em liberdade pelos crimes de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e falsidade ideológica. Cintra foi procurado pela reportagem por telefone ontem, mas não foi localizado.

O inquérito civil do MPE apontou que a G-1 atua com a inscrição do cadastro de contribuintes desativada na Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo. Agentes da secretaria realizaram diligências e não encontraram uma sede física da Note One, que está em nome da mãe de Cintra. O acusado também teria ligações com a empresa Yes Notebooks, que ainda não acatou a ordem judicial de suspender o site.

“Tudo indica tratar-se de uma organização criminosa que tem como forma de agir para a prática de golpes a oferta de produtos por seu site na internet a preços bastante atrativos, de modo a seduzir consumidores”, disse o promotor.

Ontem, a reportagem acessou o site da Note One e havia um aviso de que a loja virtual passava por reformulação, além de um único e-mail comercial para contato. O mesmo ocorreu em 2007, quando a primeira loja virtual acusada de estelionato pela internet, Criart Eletrônicos, encerrou as atividades depois de aplicar golpe avaliado em R$ 1 milhão pelo delegado que investigou o caso, Gino Augusto Franco Sant’anna.

Promotoria vê quadrilha

O promotor do Consumidor, Carlos Cezar Barbosa, encaminhou à Promotoria Criminal de Ribeirão Preto informações sobre as empresas Stop Play, Yes Notebooks e Note One, para que sejam investigadas a formação de quadrilha e o crime organizado entre as três.

Ele afirmou que alertou o Judiciário sobre o funcionamento irregular do site da Yes (www.yesline.com.br) e pediu providências. A juíza substituta Bruna Marchese e Silva, da 10ª Vara Cível, determinou a suspensão do portal e oficiou o provedor de acesso para a tomada de providências cabíveis.

Ontem, a reportagem acessou a página da empresa e constatou que estava em funcionamento, anunciando produtos, como celulares e notebooks, com até 60% de desconto. A empresa também vende produtos por telefone e possui um perfil no microblog Twitter, onde anuncia as ofertas e negocia com clientes. Até ontem a noite, possuía 19.736 seguidores de todo o País. (GY)

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 901 vezes




Comentários


Autor e data do comentário: Noeli terezinha Turcatto - 29/07/2010 17:54

Efetuei uma compra no site Yes line , um projetor LG no dia 20/04/2010, pagamento à vista e até o momento eles não me entregaram a mercadoria. Fui ao procon, pois moro em Rondônia, a Yes line foi notificada, recusou a notificação, novamente foi mandada e veio como a empresa mudou de endereço. Gostria de saber como proceder, quais providências devo tomar.



O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal