Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

24/05/2010 - Diário do Grande ABC Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpe do cartório é aplicado na região

Por: Felipe Rodrigues


Uma quadrilha de estelionatários está utilizando os cartórios de títulos de São Paulo para aplicar golpes em moradores e também nas empresas do Grande ABC.
Os criminosos fazem o primeiro contato por telefone com a possível vítima. Eles se identificam como funcionários de uma suposta empresa de cobrança.

A ação inicia quando os golpistas informam que a vítima possui títulos de cobrança em aberto e que precisam ser pagos no mesmo dia, em poucas horas.

Para isso, a vítima tem que comparecer em um cartório de São Paulo. Caso não ocorra o pagamento, a pessoa ou a empresa terá seu nome protestado e corre o risco de ter seus bens penhorados caso a situação não seja regularizada.

Os valores cobrados pelos estelionatários giram em torno de R$ 1.000, podendo ultrapassar R$ 2.000. Os criminosos oferecem também a opção de parcelamento da dívida, porém ao menos uma parcela precisa ser paga no dia em que a pessoa foi acionada pelos golpistas.

A tentativa de aplicar o golpe ocorreu na sexta-feira com uma microempresária de 38 anos, que possui uma agência de turismo há sete anos em São Caetano.

Segundo a empresária que quase sofreu o golpe, nos primeiros cinco minutos de conversa com o golpista passou pela sua cabeça que poderia haver um débito, mas depois notou a insegurança do criminoso e viu que era um trote."É uma situação em que, se a gente não tiver jogo de cintura, a chance de cair no golpe é grande", ressaltou.

Golpistas usam telefone como arma

O telefone continua sendo uma das armas dos criminosos para provocar medo e tirar vantagem de suas vítimas.

Na ação mais recente na região, um bandido ligou para um morador se passando por policial e alegou que vinha recebendo ameaças vindas daquele número de telefone. Em alguns casos, o criminoso se identifica como delegado.

O golpista exige que a vítima entre em contato com a empresa de telefonia para solicitar o conserto na linha. O morador precisa ainda dar retorno ao suposto policial, confirmando que fez o pedido.

No dia seguinte, o criminoso aparece disfarçado de técnico da empresa contatada no dia anterior pela vítima e consegue acesso livre à casa para cometer o assalto.

Outro golpe muito utilizado por bandidos de facções criminosas são os "falsos sequestros", em que uma suposta vítima é colocada ao telefone fingindo ser um familiar em desespero e pedindo socorro.

Do outro lado da linha, muitas vezes, a vítima acaba por acreditar de que se trata de uma situação verdadeira que está ocorrendo com algum familiar e acaba pagando o resgate.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 212 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal