Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

13/05/2010 - Abril / Agência Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Investigação nos EUA faz Bovespa cair 0,67%

Por: Taís Fuoco


São Paulo - A desconfiança impediu o avanço da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) no pregão de hoje. Os bons resultados divulgados nos balanços de algumas empresas foram em parte ofuscados pela notícia de que oito bancos americanos estão sendo investigados pelo Estado de Nova York. De acordo com o jornal "The New York Times", eles são suspeitos de fornecer a agências informações falsas para aumentar o rating (classificação de risco) de ativos hipotecários.

A notícia, aliada à preocupação com a situação fiscal da Europa, levou o índice Bovespa (Ibovespa) a fechar em baixa de 0,67%, aos 64.788,22 pontos. Hoje, o indicador oscilou entre a pontuação mínima de 64.738 pontos (queda de 0,74%) e a máxima de 65.427 pontos (alta de 0,31%). Em maio, até o momento, a Bolsa só teve três pregões de alta. No mês, a Bovespa acumula queda de 4,06% e, em 2010, recuo de 5,54%. O giro financeiro do dia, ainda preliminar, foi de R$ 5,22 bilhões, inferior aos R$ 5,44 bilhões de ontem.

"O mercado está sem fluxo, desconfiado com essa notícia de investigação de bancos", afirmou Pedro Galdi, analista da SLW Corretora. De acordo com o jornal "The New York Times", os bancos que estão sendo investigados pela promotoria federal dos EUA são Goldman Sachs, Morgan Stanley, UBS, Citigroup, Credit Suisse, Deutsche Bank, Crédit Agricole e Merrill Lynch - que agora pertence ao Bank of America.

Já as companhias de classificação de risco que deram os ratings às operações ligadas a hipotecas são Standard & Poor's, Fitch Ratings e Moody's. Foi o setor de hipotecas imobiliárias de segunda linha - ou subprime - que disparou a mais recente crise financeira global. Hoje, as Bolsas em Nova York tiveram forte queda: O índice Dow Jones recuou 1,05%, o Nasdaq teve baixa de 1,26% e o S&P 500 caiu 1,22%.

No Brasil, porém, os papéis da Petrobras subiram durante todo o dia, diante das boas expectativas em relação ao balanço da companhia, que sai amanhã. A alta de hoje também representa uma recuperação das perdas recentes, em razão das incertezas sobre o processo de capitalização da companhia. Petrobras ON subiu 0,12% e PN avançou 0,33%, apesar do contrato futuro de petróleo com vencimento em junho ter fechado a US$ 74,40 o barril em Nova York, queda de 1,65%.

As ações da Vale, por sua vez, tiveram um pregão de baixa, já que os setores ligados a commodities (matérias-primas) continuam a sofrer o impacto do esperado aperto monetário na China. "Há investidores vendendo papéis ligados a commodities e comprando ações ligadas a consumo", citou Fausto Gouveia, economista da Legan Asset Management. Hoje, mesmo com a alta dos principais metais, Vale ON caiu 1,45% e a Vale PNA recuou 1,58%.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 199 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal