Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

13/05/2010 - UOL Notícias / EFE Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Promotoria de N.York investiga se bancos enganaram agências de "rating"


Redação central, 13 mai (EFE).- O procurador-geral de Nova York investiga os oito dos maiores bancos do mundo para determinar se estes passaram informações falsas às agências de classificação para afetar algumas operações apoiadas por hipotecas, segundo informa hoje "The New York Times".

Em sua versão digital, a publicação nova-iorquina assinala que a investigação sugere que um promotor de Nova York, Andrew Cuomo, acredita que as agências de classificação podem ter sido enganadas por um ou mais dos bancos investigados.

Goldman Sachs, Morgan Stanley, UBS, Citigroup, Credit Suisse, Deutsche Bank, Crédit Agricole e Merrill Lynch - agora nas mãos do Bank of America - são as entidades investigadas, detalha o jornal.

As agências de classificação que avaliaram as operações com valores apoiados por hipotecas são Standard & Poor's, Fitch Ratings e Moody's Investors Service, cujas classificações são utilizadas pelos investidores para decidir suas aquisições.

O jornal explica que Cuomo iniciou a investigação a partir de uma informação do próprio jornal que descrevia as técnicas bancárias para obter melhores avaliações dessas agências.

O procurador-geral nova-iorquino quer saber sobre as contratações de funcionários das agências de classificação pelos serviços dos bancos especializados no negócio do risco imobiliário.

Segundo pessoas familiarizadas com a investigação não autorizadas a comentar o procedimento, trata-se de averiguar se contribuíram assim para melhorar as classificações dos instrumentos financeiros oferecidos.

Após as citações da promotoria quarta-feira, três porta-vozes das entidades afetadas não quiseram comentar o assunto. Os outros não atenderam aos pedidos do jornal.

O porta-voz do Goldman Sachs, Samuel Robinson, afirmou que "qualquer sugestão de uma inadequada influência sobre as agências de classificação precisa ser fundamentada. Dependemos da independência das agências de classificação".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 271 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal