Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

08/05/2010 - pe360graus Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Peritos desvendam crimes buscando pistas em celulares e computadores

Em São Paulo, as perícias feitas com computadores prendem cada vez mais criminosos.

A investigação policial do futuro já chegou ao Brasil. Em São Paulo, as perícias feitas com computadores prendem cada vez mais criminosos.

Sem lupa, sem luvas. Quando a prova do crime está em bites e bytes, a perícia convencional dá lugar a uma investigação digital. Um equipamento revela as últimas ligações e mensagens do celular.

Conectado a um computador ou cartão de memória, um superprograma usado pelas principais polícias do mundo, como o FBI, vasculha todos os arquivos. Revela quando e para quê o computador foi usado, quebra senhas de acesso e até recupera o que foi apagado.

“Tanto aqueles apagados recentemente como também os arquivos que já foram apagados há meses”, explica o perito Edson Amaral, do Instituto de Criminalística de São Paulo.

No computador de um estelionatário, a polícia encontrou imagens feitas por uma câmera instalada em um caixa eletrônico. Era assim que a quadrilha descobria a senha dos clientes.

Também ficaram gravados os números dos cartões de crédito clonados e o programa usado para falsificar documentos. Em alguns casos, surgem surpresas. “Muitas vezes, um equipamento pode entrar com uma análise de estelionato, e a gente descobre que o cara também era um pedófilo”, garante o perito.

Nos últimos dez anos, o número de perícias digitais em São Paulo pulou de 535 para 2.876, um aumento de 437%. Esse tipo de perícia é cada vez mais comum, porque, cada vez mais, as pessoas usam aparelhos eletrônicos para se comunicar, acessar e armazenar informações. Esses equipamentos foram tão incorporados ao dia a dia que muitas vezes o criminoso deixa vestígios sem se dar conta.

O delegado Marcos Carneiro lembra que o rastreamento do celular foi decisivo para provar a culpa de um pai que há cinco anos matou o filho adotivo na Grande São Paulo. “No exato horário em que ele falou que estava na região de Santo Amaro com a criança, descobriu-se que ele estaria com informações do celular dele na região de Itapecerica da Serra na divisa com Embu, local onde a policia localizou o corpo da criança escondido”, lembra o delegado.

A polícia aposta na tecnologia para aumentar o índice de esclarecimento de crimes como o de homicídios, por exemplo, que em São Paulo é de 47%.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 254 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal