Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

27/04/2010 - R7 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpe mais velho do mundo ainda cola em Chicago

Picaretas diziam que dinheiro foi amaldiçoado, prometiam “purificar” e não voltavam.

As autoridades do estado norte-americano de Illinois não acreditaram que ainda houvesse gente que ainda caísse nesse tipo de golpe, mas, ainda assim, está em busca de duas picaretas acusadas de aplicar o truque do “dinheiro amaldiçoado”.

O golpe - comum entre ciganos nova-iorquinos da década de 1950 – funciona da seguinte maneira: atuando como consultor esotérico, o cambalacheiro diz para sua vítima que o seu dinheiro está amaldiçoado e que é preciso purificá-lo. A vítima fica com medo, porque o golpista diz que “coisas terríveis podem acontecer” e larga o dinheiro na mão do bandido, que foge para nunca mais aparecer.

É por causa de um golpe desses que Laura Santini, de 61 anos, e sua filha, Rosann, de 35, estão sendo procuradas. Lançando mão desse estratagema, as duas garfaram mais de R$ 100 mil de uma mulher de Park Ridge, no condado de Cook.

O detetive Milorad Sofrenovic, da polícia do Chicago, diz que as duas convenceram a vítima de que a “maldição do dinheiro” havia se espalhado para todo o dinheiro que ela possuía.

- Elas disseram que, para remover a maldição, elas precisavam levar o dinheiro todo – fisicamente – para um lugar sagrado, em Indiana, e, por meio de rezas, iam purificar o dinheiro.

Sofrenovic disse que a mulher que levou o golpe só sacou que havia sido enganada quando passou na frente da casa delas e havia uma placa de “aluga-se” pregada no gramado.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 182 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal