Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

20/04/2007 - Diário da Manhã Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Farsante prefere o telefone


Um dos meios mais usados pelos golpistas é o telefone. Outro golpe comum é o golpe do falso prêmio do Baú. “Nestes casos os farsantes aproveitam a combinação do uso fraudulento de marcas conhecidas com uma certa ganância das pessoas”, diz a representante do Pro Teste, Ana Luisa Ariolli. Geralmente, a vítima recebe um telefonema, dizendo ser da organização do “Baú da Felicidade”. O golpista diz que a vítima foi selecionada para ganhar um prêmio, mas para receber deverá arcar com despesas, em particular com um seguro e/ou com os impostos.

Ou ainda, os farsantes se fazem passar por atendentes de call centers da operadora de telefonia e ligam para a casa das vítimas afirmando que elas ganharam prêmios. A professora Rávylla Vieira diz que no ano passado ligaram para sua casa para oferecer carros, TVs de plasma e outros prêmios. “Para receber as mercadorias e ganhar mais eu teria de comprar 30 cartões de celular de duas operadoras diferentes e digitar os códigos pelo telefone”, relata. A professora diz que desconfiou e disse que compraria mais tarde.

Segundo o Procon-GO, esse tipo de golpe é um caso de polícia. Geralmente os golpistas são presidiários ou trabalham para eles. A representante do Pro Teste, Ana Luisa Ariolli, afirma que já verificou junto às empresas citadas nos golpes. Elas afirmam que, em hipótese alguma pedem dinheiro ou créditos de celular para entrega de prêmios. “A informação é uma arma preciosa a favor do consumidor, que deve fugir de promessas e ofertas que incluam muitas facilidades. Nos dias atuais, desconfiar e se prevenir são essenciais para evitar transtornos”, complementa.

Ela comenta que os consumidores que forem vítimas desses golpes, por serem caracterizados como fraudes, devem denunciá-los, por meio de boletins de ocorrência junto às delegacias. Estas têm um trabalho em conjunto com a Delegacia do Consumidor, que é quem deve fazer as investigações cabíveis. “O consumidor deve fazer sua parte. As pessoas devem ficar atentas, não passando informações pessoais a estranhos, em hipótese alguma”, aconselha.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 351 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal