Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

09/04/2010 - Paraná Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Dicas para livrar-se de policiais corruptos


A corrupção policial é, sem dúvida alguma, um dos grandes problemas da Tríplice Fronteira Brasil-Paraguai-Argentina, que vem sendo sacudida, nos últimos dias, por uma série de episódios "constrangedores" envolvendo os homens da lei.

Em Foz do Iguaçu, um policial federal, no mais completo estado de embriaguez, foi destaque em rede nacional (e no Youtube) ao colidir seu carro contra um poste, desafiar policiais militares e guardas municipais e, como cereja do bolo, oferecer suborno de R$ 15 mil para escapar das algemas.

No lado paraguaio da fronteira, o delegado Darío Orué, da pequena cidade de Los Cedrales, foi fotografado em Ciudad del Este a bordo de uma caminhonete cuja placa, AFH 195, pertence na verdade a outro veículo, registrado em nome de um cidadão que nada sabia do ocorrido.

Para completar o show de horrores, Orué acusou o Diário TN Press, autor da denúncia, de fazer montagens para prejudicá-lo. Foi o que bastou para que o jornal publicasse, em sua edição eletrônica, a sequência completa das 18 fotografias que mostram, nitidamente, o rosto do policial e a placa do suposto "cabrito".

No lado argentino, policiais de trânsito são acusados, com incômoda frequência, de retenção ilegal de veículos brasileiros ou paraguaios, no intuito de cobrar exageradas quantias por irregularidades sem comprovação e conseguir, assim, a grana para a cervejada do final da noite.

Além dos casos relatados acima, há, ainda, os "pequenos" atos de corrupção do dia-a-dia, como fabricação de multas, pedidos de propina, vista grossa para a atuação de contrabandistas e traficantes e outras tantas irregularidades cometidas por indivíduos que, com suas atitudes, queimam o filme de toda uma categoria.

Assim sendo, como escapar ou, pelo menos, diminuir os riscos de ser "mordido" por delinquentes de farda?

As dicas a seguir valem principalmente para motoristas que cruzam a Ponte da Amizade (algo pouco recomendado para quem tem carro com placa de longe), mas servem como guia geral para não cair em arapucas presentes, inclusive, nas estradas paranaenses.

Documentação:

* Esteja sempre de posse de todos os documentos pessoais e do veículo. Se o carro estiver em nome de terceiros, traga consigo uma procuração autorizando-o a dirigi-lo;

* Não esqueça do RG e verifique se todos os ocupantes estão devidamente documentados;

* Menores de idade desacompanhados de um ou de ambos pais devem obrigatoriamente contar com autorização judicial para viagens ao exterior;

* Registre sua entrada no Departamento de Migrações (cabeceira paraguaia da ponte) antes de viajar ao interior do país.

Regras de trânsito:

* Antes de sair de casa, informe-se sobre as regras de trânsito consultando sites oficiais ou pesquisando relatos de viajantes que, desavisados, passaram por experiências que você não pretende passar;

* Informando-se previamente, você não cai em conversas fiadas como a suposta obrigatoriedade de manter os faróis acesos, mesmo durante o dia, ao transitar pela Ruta Internacional VII em Ciudad del Este; por mais que o policial insista, tal regra vale apenas para trechos fora de perímetros urbanos;

* Dirija sempre com cautela e velocidade prudencial, tomando todo o cuidado do mundo para não cometer erros básicos como esquecer de dar seta, estacionar em local não sinalizado e outras "bobeirinhas" não perdoadas pelas implacáveis raposas do trânsito;

* Lembre-se do cinto de segurança, não beba e não fale ao celular enquanto dirige.

Transporte de mercadorias:

* Ao sair do Brasil, registre na aduana brasileira tudo aquilo que já era seu antes de cruzar a fronteira, como notebooks e máquinas fotográficas; tal precaução garante que, ao retornar, seus produtos não serão apreendidos pela Receita Federal;

* Exija nota do que comprou e declare tudo ao passar pela aduana brasileira, pagando a alíquota de 50% sobre o que passar da cota individual de US$ 300,00 e evitando, assim, dor de cabeça na volta para casa;

* Jamais esconda produtos em compartimentos "secretos" ou embaixo do banco, pois isso é motivo para apreensão, inclusive, do veículo.

Em caso de problemas...

* Carregue pouco dinheiro na carteira, pois policiais paraguaios costumam pedir para abri-la, para que saibam até onde podem "morder";

* Memorize o nome de autoridades como Rafael Filizzola (ministro do Interior), José Visitación Giménez (comandante da Polícia Nacional) e Eduardo Petta (diretor da Polícia Caminera/Rodoviária), para que o policial lembre-se que pode ser denunciado caso esteja agindo com más intenções;

* E, principalmente, denuncie, acionando o Consulado do Brasil ou procurando, no caso de Ciudad del Este, o escritório da Polícia Turística situado na cabeceira paraguaia da Ponte da Amizade (o índice de resolução dos casos denunciados é de quase 90%).

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 486 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal