Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

07/04/2010 - 24 Horas News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

"Aloprado" e ex-prefeito articulvam esquema em Santo Antônio

Por: Izabela Andrade e Rubens de Souza


O ex-prefeito de Santo Antônio de Leverger, Faustino Dias Neto (DEM), cassado pela Justiça Eleitoral logo após as eleições de 2008 e preso pela Policia Federal, nesta terça-feira (7) durante da Operação Hygeia, operavam um dos maiores esquemas de desvio de dinheiro público, operador pelo "aloprado" Valdebran Padilha - também preso pela PF. De acordo com as investigações, o esquema envolve contratos superfaturados, notas fiscais falsas e contratação de funcionários fantasmas, naquela cidade.

De acorco com a Polícia Federal, em Santo Antonio do Leverger pelo menos três obras tiveram malversação de recusros e fraudes em licitação, a fim de beneficiar Faustino e Padilha. Além do atual prefeito da cidade Harrison Benedito Ribeiro, presidente da Câmara que assumiu no lugar de Faustino após a cassação também estariam envolvido no caso - em o dirigente legislativo assegurar que agiu em sentido contrário, anulando os negócios.

Valdebran atuava como lobista visando favorecimento da empresa do seu irmão, o empresário Valdenir Padilha e proprietário da empresa Engesan Saneng. Por sua vez o ex-prefeito Faustino, como ordenador de despesas destinava as verbas necessárias para que as obras pré-determinadas pelos irmãos Padilha.

Padilha é visto como um dos mais eficientes lobistas. Em 2006, no auge da campanha eleitoral, ele foi flagrado com R$ 1,7 milhão, em um hotel de São Paulo. O dinheiro apreendido seria utilizado para adquirir um dossiê contra políticos do PSDB. Padilha foi expulso do PT, onde atuou como um dos tesoureiros da campanha do então candidato a prefeito Alexandre César. Ele mantinha estreitas ligações com o grupo petista liderado pelo deputado federal Carlos Abicalil, que, por sua vez, nega a proximidade.

A obra normalmente é iniciada e abandonada sem conclusão após o repasse de notória parcela dos recursos ou é executada por inteiro, porém em quantidade e qualidade inferior ao previsto contratualmente.

Além disso, durante as investigações a Polícia Federal identificou a existência de três núcleos criminosos distintos e independentes - hierarquicamente estruturados - voltados ao desvio e apropriação de recursos públicos federais, que se comunicam através de um núcleo empresarial comum, beneficiado direta e indiretamente dos recursos financeiros produzidos com a prática dos delitos.

O esquema contava com a participação de empreiteiras na execução de obras de Engenharia, Funasa/MT e entidades sem fins lucrativos Ocip’s - que são contratadas por alguns Municípios de Mato Grosso para gerir os programas de Saúde Indígena, Saúde da Família (PSF), Serviço de atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e Unidades Municipais de Saúde (UMS).

Os recursos desviados são da esfera federal e tinha três fontes, o Ministério das Cidades, o Programa Fundo a Fundo e a Fundação Nacional de Saúde - FUNASA. O prejuízo estipulado é de R$ 51 milhões, com expectativa de chegar a R$ 200 milhões.

Durante a investigação, a PF identificou a participação de pelo menos 17 servidores públicos, sendo dois do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. Segundo o delegado de operações especiais da Polícia Federal, Eder Rosa Magalhães os servidores estão afastados de suas funções no Tribunal e atualmente prestavam serviços para uma das Ocip's envolvidas.

Lista dos presos

Marco Antônio Stangherlin – Coordenador da Funasa
Edson Petille– ex-coordenador (2005)
Evandro Vitório – ex-coordenador (2006)
Idio Nemésio de Barros Neto – servidor
Gleida Mariza Costa – fiscal de contrato
Lauriel Francisco da Silva - Servidor de Canarana
Rafael Bello Bastos – Secretário-geral do Diretório Estadual
Carlos Roberto Ribeiro de Miranda – Tesoureiro do Diretório Estadual
José Luis Gomes Bezerra – Sobrinho do deputado federal Carlos Bezerra
Faustino Dias – ex-prefeito de Santo Antônio do Leverger
Odil Benedito Antunes do Nascimento – ex-secretário de Finanças
Valdebran Carlos Padilha da Silva - empresário
Waldemir José Padilha Silva - empresário
Luciano de Carvalho Mesquita - presidente do Instituto Creatio
Ana Beatriz Muller - empresária
Carlos Renato Souza – servidor
Francisco Salvador - proprietário da CHC Táxi Aéreo
Denilson Pereira - Funcionário da CHC Táxi Aéreo
Abel Alves Saraiva dos Santos
Carlos Roberto Ribeiro de Miranda
Djalma Rodrigues Porto
Francenylson Luiz Dantas dos Santos
Kurte Luiz Matte
Maria Guimarães Bueno de Araújo
Mario Lemos de Almeida – secretário de Saúde de Tangará da Serra
Paulo Félix Castro De Almeida
Renata Guimarães Bueno
Rodrigo Guerra Duarte
Ronildo Lopes do Nascimento
Ronilton Souza Carlos
Valéria Nascimento – coordenadora da Oscip Idhea
Warley Guerra Duarte
Washington Luis Melo dos Anjos
Wellington Pereira
Willianes Pimentel de Oliveira

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 580 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal