Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

01/04/2010 - Zero Hora Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Três pessoas são presas em operação de combate a contrabando de remédios em Jaraguá do Sul

Vereador José Ozório de Ávila (DEM) e mais duas pessoas foram detidas pela Polícia Federal.

Três pessoas foram presas nesta quinta-feira em Jaraguá do Sul, no Norte de Santa Catarina, em uma operação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Vigilância Sanitária Estadual e Polícia Federal.

Entre os presos está o vereador José Ozório de Ávila (DEM), conhecido como Zé da Farmácia. A equipe fiscalizou três farmácias na operação Conexão 344. Os órgãos interditaram os estabelecimentos.

As prisões ocorreram por causa da comercialização de medicamentos contrabandeados de países vizinhos, alguns deles proibidos no Brasil, e venda de remédios controlados sem receita.

Produto contrabandeado do Uruguai

Na Drogaria Calçadão, na rua Marechal Deodoro da Fonseca, Centro, foram encontradas 132 caixas do medicamento para disfunção erétil Vimax 50, proibido no país. O produto foi importado clandestinamente do Uruguai.

Também foram localizadas cerca de 50 caixas de medicamentos tarja preta e vermelha sem notas fiscais.

Na Farmácia Drogão Ávila, de propriedade do vereador José Ozório de Ávila, foi encontrado o medicamento para reumatismo Reumazin, que teve seu registro negado pela Anvisa e é proibido no Brasil.

Foram encontradas amostras do remédio para disfunção erétil Pramil. Os dois foram contrabandeados do Paraguai.

As duas proprietárias da Drogaria Calçadão e o vereador foram presos em flagrante e encaminhados para a delegacia da Polícia Federal em Joinville. Além disso, seus estabelecimentos foram interditados.

De 10 a 15 anos de prisão

Segundo a Anvisa, os detidos foram enquadrados no Artigo 273 do Código Penal, que trata da falsificação de medicamentos e pode dar de 10 a 15 anos de prisão, e na Portaria 344 da Anvisa, que regula a entrada, transporte e comercialização de medicamentos no Brasil.

Esta última lei caracteriza a comercialização de medicamentos proibidos como tráfico de drogas e pode dar de 5 a 10 anos de prisão. Os crimes são inafiançáveis.

A outra farmácia fiscalizada, a Ultrafarma, foi interditada por vender perfumes contrabandeados e por não ter local adequado para armazenar os medicamentos de uso restrito. O proprietário terá de pagar uma multa e reformar sua loja.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 1042 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal